MT: por causa dos custos altos produtores de leite desistem da atividade – eDairyNews Últimas notícias
Mato Grosso |11 septiembre, 2020

Leite | MT: por causa dos custos altos produtores de leite desistem da atividade

Produtores de leite estão sofrendo com a elevação dos preços do milho, já que o grão é um componente importante na ração dos animais. Em Mato Grosso, o valor pago pelo litro não compensa o custo de produção.

Produtores de leite estão sofrendo com a elevação dos preços do milho, já que o grão é um componente importante na ração dos animais. Em Mato Grosso, o valor pago pelo litro não compensa o custo de produção.
Nem mesmo com 40 vacas em lactação, produzindo diariamente 700 quilos de leite, foram suficientes para manter o produtor Carlos Roberto Siqueira na atividade. Após seis anos e um investimento de R$ 600 mil, ele decidiu deixá-la. “Os preços do milho e do farelo de soja como estão tornam incompatível”, lamenta.
Siqueira conta que a única forma do produtor amortizar seus custos fixos, como investimento em animais e maquinário, é produzindo mais. “Essa é a eterna luta do pecuarista leiteiro”, diz.
O produtor Carlos Eduardo Olson deve seguir pelo mesmo caminho. Ele investiu aproximadamente R$ 4 milhões na estrutura da propriedade. Atualmente, a produção de 450 litros por dia não cobre os custos. “Comprávamos milho a R$15/R$ 16. Hoje, a R$ 45; e ainda baixa o preço do leite, como é que faz?”, questiona.
Na tentativa de baratear o trato dos 25 animais em lactação e garantir a produção mensal de 13 mil litros de leite, o pecuarista Ederson Rodrigues dos Santos cultivou mais de oito hectares de milho na propriedade. Ainda assim, a rentabilidade é incompatível. “Na minha propriedade, sobra muito pouco. Tem mês em que acabo vendendo um animal para abate para conseguir pagar a dívida que fica de veterinário e até de insumos minerais”, diz.
Manter o produtor de leite é uma questão socioeconômica
O comentarista Miguel Daoud afirma que a pecuária leiteira é um dos setores menos valorizados pelo governo. “Os instrumentos de política agrícola não são utilizados para favorecer a atividade. O Ministério da Agricultura diz que defende o produtor, mas não defende coisa nenhuma”, dispara.
De acordo com Daoud, cerca de 1,2 milhão de famílias estão envolvidas na produção de leite, totalizando aproximadamente cinco milhões de pessoas — boa parte justamente na agricultura familiar. “Conheço uma parte da Áustria e da França, onde a pecuária leiteira é incentivada porque é a vida das pequenas cidades. Tem que ser incentivada, porque traz consigo indústria e comércio, gerando imposto”, conta.
Para o comentarista, o governo precisa “institucionalizar” o leite, viabilizando a industrialização do produto in natura para agregar valor. “E o que fazemos? Importamos leite em pó, porque a tonelada lá fora está muito mais barata do que conseguimos produzir. Isso está destruindo a vida dessas famílias. É uma questão socioeconômica”, diz.
Aviso legal sobre propriedade intelectual em conteúdo digital

Todas as informações contidas nestas páginas que NÃO são de propriedade da eDairy News e NÃO são consideradas "de domínio público" pelos regulamentos legais são marcas registradas de seus respectivos proprietários e reconhecidas por nossa empresa como tal. A publicação no site eDairy News é feita com a finalidade de coletar informações, respeitando as normas contidas na Convenção de Berna para a Proteção das Obras Literárias e Artísticas; na Lei 11.723 e demais normas aplicáveis.

Qualquer reivindicação decorrente das informações contidas no site eDairyNews será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, com sede na cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outra jurisdição, incluindo a Federal.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Notas relacionadas