"A inflação de custos continua a aumentar fortemente, o que exigirá novos aumentos de preços e ações mitigadoras ao longo do ano", explica a empresa na declaração.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Os gigantes da alimentação fazem um movimento. A Nestlé implementou um aumento de preço de 5,2%, o maior ganho no primeiro trimestre desde que os registros remontam a 2010. A empresa conseguiu manter um bom ritmo de vendas (+2,4% a 22,238 bilhões de francos suíços) apesar destes aumentos, portanto, está prevendo novos ganhos.

“Neste ambiente desafiador, temos registrado um forte crescimento orgânico nas vendas”, argumenta a empresa na declaração. “Aumentamos os preços de forma responsável e temos visto uma demanda de consumo sustentada”, disse Nestlé. “A inflação de custos continua a aumentar fortemente, o que exigirá novos aumentos de preços e ações mitigadoras ao longo do ano”. A empresa está 1,58% acima no mercado de ações.

Entre as áreas mais afetadas está a América do Norte, com preços de 8,5% a mais no trimestre. A América Latina está muito atrás (+7,7%), enquanto na Europa os preços subiram 4,1%. Na China, os preços caíram 0,5%.

O Ocidente está passando por uma forte onda inflacionária em suas economias, após o surto do coronavírus. Composta pela invasão na Ucrânia, a inflação da zona do euro subiu 7,4% em março, em grande parte devido ao aumento dos preços da energia.

Para a Nestlé, isto também é inédito. A título de comparação, no primeiro trimestre de 2020, a Nestlé baixou os preços em 0,4%. Em 2019, este parâmetro havia aumentado em 1,2%. Números que vinham circulando pela empresa nos últimos doze anos, sendo que o maior aumento ocorreu em 2012, quando a Nestlé aumentou os preços em 4,4%.

A matriz de marcas como os chocolates KitKat, os alimentos para animais de estimação Purina e o café Nespresso não contabilizou o mercado russo no número de crescimento devido a “perturbações nas condições comerciais e à decisão da Nestlé de se concentrar no fornecimento de alimentos essenciais”. A empresa suíça foi uma das últimas multinacionais européias a tomar uma decisão diante da invasão russa da Ucrânia, há quase dois meses.

Na época, a empresa disse que “como empresa de alimentos e empregador, [Nestlé] também tem uma responsabilidade para com o povo da Rússia e os mais de 7.000 funcionários, a maioria dos quais são locais”.

A Nestlé espera que o crescimento das vendas atinja um aumento de 5% em 2022, com uma margem operacional entre 17% e 17,5%.

 

Traduzido com DeepL

Fonterra diz que o acordo de livre comércio permite pequenas bolsas de acesso. Os fabricantes de queijo não estão satisfeitos que o uso do nome Feta seja perdido.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER