O rebanho bovino do Acre manteve-se em compasso de crescimento em 2020 quando comparado com o ano anterior. Com alta de 8,3%, garantiu a marca de 3,8 milhões de cabeças de gado.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Foto: Reprodução

Dividindo esse número pela população, o Acre tem pelo menos 4 cabeças de gado por morador, já que, segundo o IBGE, o Estado tem mais de 910 mil habitantes.

Rio Branco segue na liderança, com 529,5 mil cabeças de gado, respondendo por 14,0% do rebanho estadual, em seguida o município de Sena Madureira com 364,5 mil e despontando em terceiro lugar Senador Guiomard (340,8 mil) como maiores produtores de bovinos, segundo a Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM), divulgada na última semana de setembro pelo IBGE.

Os dados constam da Pesquisa da Pecuária Municipal 2020, realizada pelo IBGE, fornece informações sobre os efetivos da pecuária existentes nos municípios, bem como sobre a produção de origem animal, aquicultura e o seu respectivo valor no ano em questão, constituindo a principal fonte de estatísticas sobre o tema.

Segundo a pesquisa, a produção de leite de vaca teve baixa em 2020, chegando a 42,5 mil litros, uma queda de 0,4% em relação ao ano anterior. O valor de produção atingiu R$ 48,2 milhões.

O município de Acrelândia seguiu como o maior volume de leite produzido, 4,5 mil litros de leite, sendo responsável por 10,6% da quantidade total – registrando redução de 4,6% em relação a 2019, seguido por Plácido de Castro(4.289) e Senador Guiomard (4.156).

Já o rebanho de suínos teve um crescimento de 7,2% em 2020, somando 160,7 mil cabeças. Em paralelo, o número de fêmeas destinadas à procriação (matrizes) apresentou alta pelo terceiro ano consecutivo e atingiu a marca de 19,6 mil, alta de 0,5%.

O município de Feijó detém o maior rebanho suíno do estado (30.589) e foi responsável por 19,0% do total estadual apresentando aumento de 6,7% em relação a 2019, sendo que no Censo Agropecuário 2017 o município já era o maior em quantidade de estabelecimentos agropecuários com criação de suínos e quantidade de suínos. Em segundo lugar, figurou Brasiléia com 19.071(11,8%), e na terceira posição, Epitaciolândia, com 18.520 (11,5%) mil animais.

A produção de ovos de galinha cresceu 3,6% e alcançou a marca de 7,1 milhões dúzias com uma geração de valor em torno de R$ 37,2 milhões.

Senador Guiomard lidera com folga entre os municípios, sendo responsável por (58,2%) da produção de ovos, Rio Branco vem em seguida com 9,7% e Cruzeiro do Sul com 9,2%.

É o primeiro produto do tipo com pegada sustentável lançado no Brasil.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER