Nova tecnologia permite atividade leiteira mais sustentável com melhoria na produtividade e saúde dos animais
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A produção de bovinos de leite apresentou um salto tecnológico nos últimos dez anos. Com a evolução em níveis de produtividade dos rebanhos e melhoria nas condições de ambiência, as tecnologias em nutrição também acompanharam esse aperfeiçoamento. Hoje, o mercado passou a contar com soluções desenvolvidas com base na nutrigenômica, ciência que estuda qual é o efeito de cada um dos nutrientes na expressão gênica de cada animal, impactando em melhorias na produtividade e saúde do rebanho.

O zootecnista Daniel Lobato, gerente de vendas para ruminantes da Alltech conta que, recentemente, foi desenvolvido um estudo na Universidade de São Paulo (USP), no campus de Pirassununga, em parceria com a empresa, para avaliar o uso de aditivos naturais, embasados em nutrigenômica na dieta de bovinos. A pesquisa apontou que a utilização da tecnologia permitiu um incremento de mais de 1,2 litros de leite/vaca/dia.

“O uso dessas soluções, além de dar a base, foca no resultado final, que é a produção de leite. Observamos melhoria na imunidade e na saúde dos animais, além da redução dos níveis de estresse, mas traz também, de imediato, o aumento de produtividade. Se buscamos uma atividade leiteira sustentável, precisamos que os rebanhos tenham vida mais longa, e tragam receita ao produtor”, afirma Lobato.

Ir além

O zootecnista ainda explica que estes aditivos naturais são compostos por pré e probióticos, leveduras vivas, adsorventes de micotoxinas e um blend de minerais na forma orgânica. Dessa forma, segundo o especialista, é possível auxiliar o produtor em diversos obstáculos que se apresentam no campo. “A tecnologia não é um pó mágico, que vai resolver tudo, mas pode ajudar em diversos fatores, pois cada um dos nutrientes e aditivos que estão presentes na composição podem ajudar muito na imunidade”, destaca.

A melhoria no aporte de minerais com alta biodisponibilidade, por exemplo, fortalece o sistema imunológico, auxiliando na redução de problemas como a mastite, relata Lobato. “Quando utilizamos o elemento cromo, que atua na redução do cortisol, conhecido como o hormônio do estresse, ajudamos as vacas a superarem esses momentos de adversidades e também, por consequência, na imunidade. Quando protegemos os animais contra micotoxinas, estamos melhorando novamente a imunidade, mas ajudando diretamente em reprodução. Além disso, quando criamos um ambiente melhor para esse rebanho em relação a um rúmen mais eficiente, função na qual a levedura ajuda muito, e também com melhoria da saúde intestinal, conseguimos avançar e fazer com que as vacas produzam mais leite”, complementa.

Alinhada aos desafios dos produtores e visando atender às demandas atualizadas da bovinocultura de leite, a Alltech lançou o Milk-sacc +, aditivo natural – utilizado na pesquisa desenvolvida pela USP (citada acima) – que visa inovação, tecnologia e desempenho para as produções. A solução possui nutrição mineral na medida certa para os rebanhos, níveis de suplementação adequados para o máximo desempenho produtivo e reprodutivo, mantendo a saúde e o bem-estar dos animais.

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER