A metáfora da indústria de laticínios da Argentina e seus altos e baixos com a política.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Se você tem cabelos grisalhos, como o escritor desta coluna, você não pode ter perdido este Spaghetti Western de 1966 dirigido por Sergio Leone.

O título refere-se aos três personagens principais da história: Clint Eastwood interpretou o homem sem nome, também conhecido como The Good Guy, Lee Van Cleef interpretou The Bad Guy, e Eli Wallach interpretou The Ugly Guy. O primeiro é um caçador de recompensas, o segundo é um assassino contratado e o terceiro é um ladrão e suas aventuras se cruzam no Velho Oeste durante a época da Guerra Civil Americana.

Desde que o filme se tornou popular, ele tem servido como metáfora em inúmeros contextos, de fato, há muitas pessoas que acreditam que o mundo está dividido em bons e maus, e que eles são facilmente reconhecíveis.

Poderíamos resumir esta simplificação desta forma.

O bem são todas as pessoas que pensam não apenas em seu próprio bem ou prazer, mas no bem dos outros e também no seu próprio; no prazer ou prazer para e pela maioria; elas defendem fazer coisas que sustentam a sobrevivência e a humanidade: medicina, arte, cultura, artesanato, etc.

Depois há os bandidos: aqueles que defendem convencer a todos de que o homem é uma ameaça ao homem; aqueles que com suas próprias ações “provam” para nós como é “certo” atacar-nos, matar-nos, parar de nos ajudar, sobrepor “acidentes” fatais sem pagar pelos erros; sobrepor subornos, julgamentos injustos, estupros, chantagem, etc. Muitas vezes são lobos em pele de cordeiro. São geralmente muito astuciosos, muito inteligentes.

E quanto aos feios então, vamos guardar a definição para a metáfora agora.

O governo iniciou um novo jogo do bem e do mal. Enquanto Axel Kicillof envia inspetores e intimida empresas porque considera que elas estão perturbando o mercado, ele está fazendo o papel do bandido, mas ele está fazendo o papel do bandido. Ele faz o papel do mau da fita, mas se mostra como o bom da fita que defende os consumidores pobres oprimidos pelos empresários gananciosos.

No mesmo dia, Roberto Feletti aceita que os custos devem ser revisados e que se permita que sejam repassados para os preços dos produtos que estão nos planos do governo. Ele desempenhou o papel de bom rapaz diante de seus colegas do governo que não entendem os problemas que a comunidade empresarial nacional está enfrentando em um contexto de crise.

Tudo isso é muito clichê. Bons e maus da fita em todos os lugares.

Mas onde está o feio?

O feio na metáfora está lá e muito presente. Está no silêncio, no politicamente correto, naqueles que não querem jogar o jogo para não aumentar os problemas. Para aqueles que dizem que, como não são eles, é melhor não se envolver.

Isto está cheio de pessoas feias, e o pior é que o futuro está ficando feio. O mercado doméstico está consumindo cada vez menos a cada dia e não há nenhuma melhoria à vista. Enquanto isso, os políticos estão jogando o jogo dos bons e dos maus, os empresários estão jogando o jogo das vítimas e o negócio está ficando feio, muito feio.

Discutimos quanto vale uma caixa de leite em um supermercado em Lomas de Zamora ou um queijo em Tafí del Valle. Ainda temos que dizer às vacas quantos litros de leite elas devem dar por dia. Enquanto isso acontece, os últimos dados de consultores privados mostram claramente como o consumo de alimentos e bebidas vem caindo.

A última pesquisa CAME, por exemplo, mostrou uma queda de quase 5% em abril em comparação com março nos supermercados e mercados locais. Haveria também uma migração do consumo em favor dos atacadistas e hipermercados na busca de mais descontos. Valores semelhantes são fornecidos pela Focus Market, liderada pelo economista Damián Di Pace, que estimou uma queda de 4,5% nas compras de alimentos no mês passado.

Ao mesmo tempo, a inflação projetada para o ano está cada vez mais próxima de 70%, e continuamos a repetir um filme que já vimos e falhamos anos atrás. Chega de bons, maus e feios, vamos falar sério e parar de perder tempo com bobagens.

A propósito, senti vontade de ouvir novamente a famosa melodia de Ennio Morricone, acho que você também sente.

 

Traduzido com DeepL.

O Ministro da Agricultura, Pecuária e Pesca da Nação, Julián Domínguez, realizou uma reunião bilateral com seu homólogo brasileiro, Marcos Montes Cordeiro.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER