Nesta segunda-feira, dia 28, o Giro do Boi recebeu ao vivo em estúdio o engenheiro agrônomo Wagner Pires, pós-graduado em pastagens pela Esalq-USP e consultor do Circuito da Pecuária.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

pasto-secando-suplementacao-resolve

Nesta segunda-feira, dia 28, o Giro do Boi recebeu ao vivo em estúdio o engenheiro agrônomo Wagner Pires, pós-graduado em pastagens pela Esalq-USP e consultor do Circuito da Pecuária. O especialista respondeu dúvidas de 23 telespectadores sobre manejo de forrageiras, muitas delas sobre características da variedade de Capim Elefante BRS Capiaçu e também refugo de MG5 Xaraés, recuperação de pastagem, uso de maquinários, entre outras perguntas.

Antes disso, Pires apresentou um contexto da pecuária de corte Brasil afora, que tem observado em contato com os pecuaristas para os quais presta consultoria. “A pecuária está indo muito bem! O pecuarista está consciente de que ele tem que trabalhar a pastagem como uma cultura. Pasto é uma cultura, então tem que estar adubando. Aumentou demais o uso de fertilizantes em pastagem, então isso está significando uma verticalização tremenda. E o que acontece infelizmente? Nós não temos boi para entregar! Eu acredito que o ano que vem, 2022, nós vamos ter muito bezerro de oferta, mas a cadeia não vai estar fechada. A corrente vai estar interrompida porque assim mesmo ainda vai faltar lá na frente para entregar”, projetou o consultor.

Confira a seguir a série de perguntas que o especialista em pastagens respondeu:

– Com os pastos secando, dando um proteinado bom, os bois mantêm o peso? (Geraldo Samuel, de Nova Serrana-MG)

Pires: Sim, com certeza. Agora é muito importante que você construa uma massa, uma bucha para o gado. E aí entre com um proteinado e vai ter um excelente resultado.

– O que eu poderia usar numa capineira de capim BRS Capiaçu para eliminar as pragas? Aqui chove muito e as pragas vem com tudo. (Rogério Chaves Mendes, de São Sebastião, no litoral norte de SP)

Pires: Use herbicida. O Capiaçu aguenta os herbicidas de folha larga normal que a gente tem para pastagem e dá uma excelente resposta, um excelente retorno. O único problema que você vai enfrentar é em relação a pragas de folhas estreitas que estiverem no meio. Aí você tem que botar uma pessoa carpindoarrancando, eliminando ou então, após o corte, trabalhar com uma aplicação localizada bem fraquinha, sem pressão. Aí você vai limpando.

– O Capiaçu é o mesmo Capim Elefante? (pergunta enviada por Whatsapp)

Pires: Sim, é o mesmo Capim Elefante. Eles fizeram um melhoramento, fizeram uma seleção e aí saíram vários materiais bons, mas o melhor de todos foi o Capiaçu. É muito bom, fantástico.

– O assunto é recuperação de pastagem em terrenos acidentados: Preciso de uma orientação para o manejo de pastagem em terreno acidentado em nossa propriedade no município de Maria da Fé, no sul de Minas Gerais (veja na foto abaixo). Apesar das dificuldades de manejo em terreno acidentado, estamos agindo ativamente na recuperação de nossas pastagens. Para conter os nutrientes repostos, para a água não carregar morro abaixo, o que você acha da prática de riscar horizontalmente a pastagem com arado a boi na correção e adubação do pasto? É nossa única possibilidade de mecanização. (Benedito Pereira, de Maria da Fé, no sul de Minas Gerais)

Pires: Segura, ajuda bastante. Como também você pode usar, tem um implemento que chama aero subsolador. Você pode descer morro abaixo, se assim permitir a topografia e tiver um tratorista macho, não estraga, não atrapalha em nada, não vai provocar erosão. Ele só vai furando o seu terreno e aí você vai jogando. E é um implemento que até ajuda a segurar o trator. […] Outra coisa, tem um fertilizante muito bom que você pode jogar e você vai ter um excelente resultado que é um organomineral. Inclusive ele é produzido em Minas Gerais, na região de Três Pontas.

– Tenho uma fazenda em lugar de solo bom. Estou com projeto pra fazer uma capineira na minha propriedade. Pretendo iniciar a engorda de dez animais Nelore. Qual seria o capim indicado para fazer esta plantação? (Raul Alves Filho, do sul da Bahia)

Pires: Eu voltaria naquele que eu acabei de falar dele, o Capiaçu. O Capiaçu é top, ele é um capim de muda, mas vai dar uma produção muito satisfatória para você e vai dar um excelente resultado. Então faça com ele que você vai gostar da capineira.

– Temos uma fazenda na região central do estado do Tocantins, de aproximadamente uns 20 alqueires formados com capim Andropogon. O terreno lá é acidentado (íngreme) e tem muito vento deixando o capim na época da seca muito seco. Queremos fazer um semiconfinamento. Temos uma represa de boa vazão de água e uma roda d’água que pode levar até 20.000 litros de água por dia para a caixa. O Andropogon é um bom capim para semiconfinamento? Vale a pena irrigá-lo na época da seca? (Francisco Teodoro de Assis, com propriedade na região central do Tocantins)

Pires: O Andropogon é um capim maravilhoso para engordar boi. Uma maravilha! Eu aprendi isso lá andando no Tocantins e comecei a ver produtores que pesavam e falavam que o peso do Andropogon sempre está diferenciado. Então ele é um capim bom. Mas chega na seca ele fica penalizado porque ele envareta e aí o manejo dele torna-se difícil. Mas nas águas ele vai te dar um excelente resultado piqueteado. Pode fazer um rotacionado de Andropogon tranquilamente você vai ter um bom resultado.

– Gostaria de saber se posso juntar cana, milho e Capiaçu para silagem sem inoculante? (Antônio José, de Campo Maior-PI)

Pires: Eu não faria. O inoculante é parte essencial para você ter um bom resultado na sua silagem. Você pode misturar cana, capim, milho… O que você quiser, pode misturar. Mas use o inoculante, é fundamental.

– Tenho dois alqueires paulistas irrigados por aspersor e vou plantar grama Porto Rico. Quantas unidades/animal eu consigo trabalhar? Qual seria o melhor tamanho de piquete? As temperaturas nossas no inverno chegam a 5º C e no verão a 42º C. Mas o inverno não é tão rígido. (Marcelo Lavagnoli, de Ivaté-PR)

Pires: A grama Porto Rico é bastante produtiva, ainda mais irrigada! Então se você somar a irrigação uma fertirrigação, eu acredito que tranquilamente você consegue em torno de seis a oito UA/ha. Muito bom!

– Gostaria de implantar em meu sítio um sistema de quebra vento para proteção do capim e pretendo usar o Nim. Qual a distância devo manter em relação à cerca e de uma árvore para outra? (Nilson Neris, de Marcionílio Souza, na região da Chapada Diamantina na Bahia)

Pires: Você está no caminho certo, Nilson! O vento é um dos principais fatores para secar pasto. É muito prejudicial o excesso de vento, ainda mais lá na Chapada. Agora o problema do Nim é o tempo que ele demora para se desenvolver. Dá uma árvore fabulosa, muito boa, mas vai demorar bastante. Você pode fazer renques a cada 18 metros e aí você vai fazer quase que um sistema silvipastoril. Muito bom. Ou então veja o sentido do vento na região e vá colocando nos cantos das cercas para você fazer o renque. Outra planta que você pode trabalhar, com a qual você vai ter um excelente resultado, é com eucalipto. É uma árvore alta, de crescimento rápido e muita gente está adotando hoje com pastagem. E ainda dá para ganhar um troco. Você pode deixar a árvore crescer, depois vender toras dela.

– Trabalho com pecuária de cria em Campos-RJ. Minha pergunta é a seguinte: no pasto de MG-5, o gado entra no piquete e reluta em comer o capim. Por quê? O gado raspa o mato que fica nas beiradas e rejeita o pasto. Assim emagrece, mesmo com pasto sobrando. Já rocei o capim, reduzi o tempo de repouso para 30 dias e não resolveu. O que pode estar acontecendo? Em que eu posso estar errando? (Nelson Lamego, de Campos dos Goytacazes-RJ)

Pires: O MG-5 Xaraés é um capim muito bom, de crescimento muito rápido e o gado gosta, desde que o gado fique só pastejando MG-5. No começo, vai dar essa briga. O gado não vai querer comer porque a palatabilidade dele em relação a um Brizantha, a um Braquiarão ou Panicum é inferior. Então toda vez que você tirar o gado de um Marandu, por exemplo, e colocar ele num MG-5, o gado vai querer pular fora e sair. Agora se você persistir e for deixando o gado lá, o gado vai comer por necessidade e na segunda rodada o gado já esqueceu do Marandu, esqueceu do Mombaça, e aí começa a se adaptar. Você tem que tomar muito cuidado no manejo porque com ele mais baixo um pouco, sem passar do pontoé mais palatável. Então esse é o problema.

– Gostaria de saber qual o melhor capim para o inverno. O BRS Capiaçu vai bem na nossa região? (Maurício Baldin, de Campina Grande do Sul, região metropolitana de Curitiba)

Pires: O Capiaçu ‘guenta’. Você pode fazer uma capineira, mas evite de fazer nas áreas de baixadas porque você tem uma probabilidade maior de uma geada. Mas ele ‘guenta’. Ele está preparado para aguentar o frio do Paraná e você vai ter resultado. E não esqueça de adubar.

– Acabei de limpar um pasto de 80 tarefas com um trator esteira. Quero replantar com um capim que feche o pasto todo e dificulte as invasoras. (Aldo Pereira, de Feira de Santana-BA)

Pires: Ao limpar uma área com trator você pode quebrar a invasora, você pode derrubá-la, pode até arrancar e matá-la, mas dificilmente você vai eliminá-la. Se você quer eliminar uma invasora, use herbicida. É a melhor e mais econômica forma de você fazer o controle. Outra coisa, você não consegue eliminar as invasoras de uma única vez. No primeiro ano você vai aplicar, você tem em torno de 70% de eficiência, e aí você no segundo ano volta fazendo um repasse e vai eliminando. Agora não esqueça de uma coisa: se você adubar a sua pastagem, se fizer uma boa adubação, se der um vigor na terra, a planta fecha e dá cacete na planta daninha!

– Tenho uma capoeira de Capim Elefante. Eu estava sem animais e com isso o capim amadureceu e começou a soltar sementes. Eu perdi esse capim Ou posso servir ao gado picado no cocho? (Diego Donizete dos Santos Ferreira, de Pinhalzinho-SP)

Pires: Poder, pode, mas a qualidade dele vai estar bem baixa. Você deve cortar ele e aí, se você conseguir ofertá-lo ao gado no cocho, de repente misture um capim de melhor qualidade e o gado vai comer essa bucha da sua capineira e vai recuperar. Veja bem, Diego, você não pode deixar a capineira ficar muito alta, muito grande, porque a parte dela de baixo vai ficar dura e de péssima qualidade. Só uma ponta vai estar boa. Então deu o ponto de corte, corte ela porque realmente ela vai rebrotar e dar produção.

– Qual seria a melhor opção: colocar o gado na palhada de milho ou deixar a palhada para virar adubo orgânico para novo plantio de milho? (Walter Silva, de Guimarania-MG)

Pires: Ponha o gado para comer! O bom seria você ter plantado um capim junto e aí ter feito a integração lavoura-pecuária. Mas se você não conseguiu, pode soltar o gado na palhada. O gado vai comer e isso vai dar um refresco para a sua pastagem.

– Já se tem parâmetros em relação à produtividade, resistência ao pisoteio e rebrota do BRS Kurumi sendo utilizado num rotacionado? (Paulo Bomfim, de Viçosa-AL)

Pires: O Kurumi é uma planta diferente do Capiaçu. É uma planta para ser pastejada. É muito boa, excelente, você pode rebaixar ele, pode botar o gado para cortar na altura de dez a 15 cm tranquilamente e ele vai rebrotar. Agora ele é muito exigente em fertilidade. As terras de Viçosa são boas, mas vale a pena você fazer uma complementação com adubação química.

– Comprei uma terra na região e pretendo criar vacas para vender bezerros. Só que a terra é uma espécie de arenoso preto e a metade dela, no tempo chuvoso, fica minando água, enquanto a outra metade não. Então que capim devo utilizar, de melhor adaptação a este tipo de solo e de melhor qualidade para o gado de cria? (Elcimar Celeste, de Governador Nunes Freire, no oeste do Maranhão)

Pires: Na área que molha muito você pode plantar um Canarana, que vai muito bem na sua região. Tem o Tango, o Rio de Janeiro…. A Humidicola vai bem, mas ela apanha. Lá ela toma pau do Tango! Então esses capins vão muito bem. Nós vamos ter uma braquiária que está entrando esse ano que é o Cayman. Ela é uma braquiária que tolera áreas úmidas, áreas encharcadas e não morre. E aí vai ser uma boa alternativa para o senhor.

– Qual o melhor capim para terra arenosa? O Andropogon? (Carlos Cesar de Almeida, de São Francisco Norte-MG)

Pires: O Andropogon vai bem, principalmente se você tiver uma área mais cascalhada, mais pedregosa, o Andropogon vai muito bem. Pode plantar.

– Na minha região, qual raça irá produzir mais leite em um sistema rotacionado com Capiaçu? E qual variedade de capim é o indicado? Com o Capiaçu eu iria precisar fazer uma suplementação do gado? (Marcelo Amaral, de Tucumã-PA)

Pires: O Capiaçu é bom, mas o que acontece? O Capiaçu não é um capim para pastejo. É um capim para corte e você ofertá-lo no cocho ou em forma de uma silagem. Vai muito bem, mas não para você colocar o gado pastejando. É um capim para a gente manejar.

– Gostaria de ter uma informação quanto à silagem de Capiaçu e Napier. Qual o tempo e tamanho ideal para a produção da silagem? (Rilsoney Matos, de Ilhéus-BA)

Pires: A silagem você pode aguardar em torno de 60 dias para fazer o corte. Aí você vai ter uma altura boa. Corte ele rente ao solo, ele é um capim preparado para isso. Só que não se esqueça de adubar porque quando você faz o corte bem rente ao solo, você tem uma extração muito grande de potássio e aí você pode degradar a sua capineira.

– Sobre o plantio de milho sem matar o capim já formado, e complementando a recomendação, gostaria de saber para o caso de haver uma compactação no solo, como resolver sem a gradeação/aração? (Pergunta enviada por Jeronimo Garcez via e-mail)

Pires: Você pode passar um escarificador para descompactar o seu solo. Mas nada impede que você faça um plantio com uma plantadeira de linha no meio da braquiária. Você dá uma boa rebaixada, pode dar uma queimada de leve nela com dessecante, um glifosato, uma dosagem bem baixinha para não matar, e aí você entra plantando. O milho vai sair e a braquiária vem junto.

– Onde encontro o Capim Marmelada, a Brachiaria plantaginea? Ele traz bons benefícios para o produtor nordestino? Quais as vantagens?

Pires: Tem coisa muito melhor, não faça isso. Não plante Marmelada, não! Vamos plantar coisa boa!.

– Tenho um rotacionado de Tifton na fazenda. O Capiaçu também vai bem? (Odair, do Rio Grande do Sul)

Pires: Vai bem, mas o Tifton vai melhor na sua região. Pode seguir adiante com o Tifton que você vai ter um resultado melhor.

– Qual é a melhor braquiária para vacas paridas, o capim menos tóxico para a bezerrada? (Robson Flores Calvanta, de Santana-BA)

Pires: Entre as braquiárias hoje a gente tem a Paiaguás, que é muito boa, nós temos agora o Braúna, muito bom, nós temos os híbridos que estão entrando… Tem o Sabiá, o Caiena, agora vamos ter o Cayman, vamos ter o Camelo… Então tem coisa muito boa de braquiária!

Se você tiver dúvidas a respeito de manejo de pastagens, envie sua pergunta para o especialista no link do Whatsapp do Giro do Boi, pelo número (11) 9 5637 6922 ou ainda pelo e-mail girodoboi@canalrural.com.br.

A sessão completa de perguntas e respostas com Wagner Pires está disponível pelo vídeo a seguir:

Foto: Juliana Sussai / Reprodução Embrapa

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER