Estado é o segundo maior produtor de leite do Brasil, ficando atrás apenas de Minas Gerais.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Paraná é o segundo maior produtor de leite do país
Paraná é o segundo maior produtor de leite do país

Quando o assunto é produção de leite, o Paraná ocupa uma posição de destaque, no Brasil. De acordo com o Departamento de Economia Rural (Deral), o estado produz 4,3 bilhões de litros de leite por ano, o que o coloca em segundo lugar no ranking nacional, ficando atrás apenas de Minas Gerais.

De acordo com o coordenador da Aliança Láctea Sul Brasileira, Ronei Volpi, a alta produção do estado e a ascensão no ranking nacional se deram por diversos fatores.

“Em primeiro lugar, nós temos o clima bastante favorável para a produção de leite. Em segundo lugar, os produtores paranaenses que têm se dedicado e gostam dessa produção. Não menos importante, a questão da organização dos produtores: os seus sindicatos, suas associações”, disse.

A produção de 4,3 bilhões de litros, por ano, representa cerca de 390 de litros para cada paranaense. A campeã na produção, no estado, é a região sudoeste, com 1 bilhão de litros, por ano, segundo o Deral.

Toledo, Marechal Cândido Rondon e Cascavel, na região oeste, estão entre as cinco maiores produtoras do Paraná. O analista de mercado João Luís Nogueira afirma que a região tem um perfil particular. Por lá, a maioria dos produtores são pequenos.

“Eles têm a atividade leiteira como atividade secundária, terciária. Normalmente, os produtores de leite produzem frango, suínos e grãos. Poucos são especialistas na produção de leite”, disse.

É no oeste do estado, entre lavouras de soja e milho, que fica a propriedade do Cezar Dondoni. Há 22 anos, ele trocou a venda de tubos e telhas pela produção de leite.

“Eu comecei com seis animais e me associei a uma cooperativa. O pessoal me ajudou muito. Ouvi muito os técnicos, veterinários, zootecnistas. Hoje, tenho 132 animais de mamando a caducando. Na ordenha nós temos na faixa de 65”, contou.

Na propriedade do Cezar, são produzidos 1.800 litros de leite por dia. Tudo vai direto para a indústria para ser transformado em leite em caixa, queijo e iogurte. Na sequência, esses produtos vão parar no supermercado.

Produção de leite — Foto: Globo Repórter

Produção de leite — Foto: Globo Repórter

Aumento na produção

Segundo os especialistas, investindo em conhecimento e tecnologia, o Paraná pode dobrar a produção de leite em 10 anos.

“Hoje, a produtividade está na faixa de 3.350 litros por vaca, ao ano. Nós já temos, hoje, fazendas com produção por vaca/ano superior a dez mil litros”, afirmou Ronei Volpi.

Mas, para atingir essa meta ousada, é necessário resolver um desafio enorme no presente: o aumento do custo de produção.

O analista João Luís Nogueira afirma que os insumos básicos, como milho e soja, para a formulação da ração estão em seus níveis mais altos. Por outro lado, o consumo do produto está caindo.

“A única saída para o produtor de leite é ele ter um mercado segmentado com a indústria que produz o queijo, por exemplo”, disse.

Já Ronei Volpi afirma que a categoria tenta reduzir o que for possível na linha de tributos, como alíquotas de importação, para ajudar a equilibrar as contas.

“Os produtores de leite têm que cuidar para não fazer investimentos exagerados nesse momento e procurar se manter em atividade com a pequena lucratividade que nós estamos tendo hoje.”

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER