O governo indiano tem interesse na importação de animais, sêmen e embriões de genética superior da raça Gir Leiteiro e na realização de treinamentos em biotécnicas reprodutivas
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

No dia 18 de maio, a Embrapa Gado de Leite recebeu uma comitiva de 20 integrantes da Índia. Entre produtores e representantes da embaixada indiana no Brasil, estiveram presentes Nilesh Nayee, diretor do National Dairy Development Board (NDDB), Suresh Reddy, embaixador da Índia no Brasil, e Parshottam Rupala, ministro da pesca, pecuária e laticínios.

O governo indiano tem interesse na importação de animais, sêmen e embriões de genética superior da raça Gir Leiteiro e na realização de treinamentos em biotécnicas reprodutivas.

Após as respectivas apresentações institucionais, os indianos visitaram o laboratório de reprodução da Embrapa Gado de Leite. Marco Antônio Machado, chefe de Pesquisa e Desenvolvimento, destaca que o Programa Nacional de Melhoramento do Gir Leiteiro (PNMGL), que é uma raça de origem indiana, foi muito bem sucedido para a seleção da genética superior, cuja produção média de leite praticamente dobrou nos últimos 30 anos.

O PNMGL é uma parceria da Embrapa com a Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro (ABCGIL), que se iniciou há 37 anos.

“Os indianos pretendem usar a expertise da Embrapa/ABCGIL nos processos de seleção genética e genômica, para aumentar a produtividade leiteira daquele país”, apontou.

Os entendimentos para a continuação e aprimoramento da parceria entre a Embrapa e as instituições do governo indiano vão prosseguir, comentou o pesquisador Luiz Sérgio Camargo.

“O trabalho mútuo de articulação e conhecimento vai proporcionar importantes avanços nos trabalhos de pesquisa para os dois países”, segundo Camargo.

O pesquisador Luiz Gustavo Siqueira lembra que o intercâmbio com o NDDB começou em 2016, quando foram realizadas visitas técnicas de pesquisadores à Índia por solicitação da instituição indiana.

Além dele, passaram por lá os pesquisadores Marcos Vinícius Barbosa da Silva, Bruno Carvalho e Luiz Sérgio Camargo. A Unidade também recebeu técnicos do NDDB, para treinamento, em 2017.

Siqueira lembrou também que o nascimento de duas bezerras no campus do NDDB da cidade de Anand, por meio da tecnologia de fertilização in vitro (FIV), foi destaque no The Times of India, um dos maiores e mais tradicionais jornais da Índia, sendo o de maior circulação em língua inglesa.

Segundo ele, o sucesso do trabalho foi possível graças ao apoio dos pesquisadores da Embrapa Gado de Leite. Siqueira e Camargo treinaram técnicos e auxiliaram na montagem do laboratório de reprodução animal do NDBB. Na oportunidade, os pesquisadores brasileiros produziram e transferiam os primeiros embriões, que culminaram no nascimento de duas bezerras, uma da raça Gir e outra da raça Sahiwal.

Além da demanda dos indianos, pela genética do Gir Leiteiro, outros países como Bolívia, Equador, Guatemala, República Dominica e Costa Rica formalizaram parceria com a ABCGIL para realização da avaliação genômica de machos e fêmeas dessa raça, em parceria com as respectivas associações de criadores de Gir Leiteiro de cada país.

Segundo Machado, “o PNMGL agora cruza as fronteiras do Brasil e está sendo protagonista no desenvolvimento de genética de ponta para o gado de leite no mundo tropical”.

Fonterra diz que o acordo de livre comércio permite pequenas bolsas de acesso. Os fabricantes de queijo não estão satisfeitos que o uso do nome Feta seja perdido.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER