A vacinação é administrada em uma única dose nas fêmeas bovinas e bubalinas com idade de 3 a 8 meses; os machos não precisam ser vacinados.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A vacinação é administrada em uma única dose nas fêmeas bovinas e bubalinas com idade de 3 a 8 meses; os machos não precisam ser vacinados.

O calendário de vacinação contra a brucelose no estado de São Paulo estabelece que até o dia 31 de maio todas as fêmeas bovinas e bubalinas com idade de 3 a 8 meses estejam vacinadas. A vacinação deve ser declarada até o dia 7 de junho de 2021.

Contra a brucelose, a vacinação é administrada em uma única dose nas fêmeas bovídeas dentro desta faixa etária e não precisa ser repetida no decorrer da vida útil do animal. Os machos não precisam ser vacinados.

“Por ser uma vacina viva, que pode infectar quem a manipule, a vacinação deve ser feita por um profissional médico veterinário cadastrado, que além de garantir a correta aplicação e cuidados de manipulação, fornece o atestado de vacinação ao produtor”, disse Klaus Saldanha Hellwig, médico veterinário da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, que junto à Coordenadoria de Defesa Agropecuária responde pelo Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PECEBT).

A relação dos médicos veterinários cadastrados na coordenadoria para realizar a vacinação em diversos municípios do estado de São Paulo está disponível neste site. A emissão do atestado de vacinação contra brucelose pelo médico veterinário cadastrado não dispensa a obrigatoriedade da declaração da vacinação.

“O médico veterinário realiza a vacinação e emite o atestado e o produtor realiza a declaração no Gedave, de todas as bezerras vacinadas de 1º de dezembro de 2020 a 31 de maio de 2021”, disse Hellwig.

O calendário estabelecido no Estado pela Secretaria visa facilitar a organização do produtor rural. O prazo final para declarar as vacinações, tanto da brucelose como da febre aftosa, é o dia 7 de junho. O prazo para apresentar o certificado de vacinação nos laticínios e outros estabelecimentos de processamento de leite também é até 7 de junho de 2021.

Em tempos de prevenção e proteção à Covid-19, é importante que o produtor adote medidas que reduzam o contato pessoal e que a declaração das vacinas seja realizada preferencialmente por meio eletrônico, no sistema informatizado Gestão de Defesa Animal e Vegetal (Gedave); clique AQUI.

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER