A menos que tenha uma condição de saúde particularmente agravada pelo consumo de certos alimentos, não faz sentido aderir a modismos que procuram removê-los da nossa dieta, especialmente aqueles como o leite, que são essenciais e insubstituíveis para a nossa conformação e manutenção física, bem como para o nosso sistema imunitário
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
PESSOAS REAIS, BEBER LEITE REAL
PESSOAS REAIS, BEBER LEITE REAL

Pode ser razoável trocar as cerca de 75 calorias de 3 colheres de chá de açúcar pelas 0 calorias de um adoçante, ou as 105 calorias de um copo de cola normal pelas 0 calorias da mesma bebida na sua versão zero; mas se estamos a falar de leite, cujos valores nutricionais e especificamente as suas proteínas de alto valor biológico, ou seja, que contêm todos os aminoácidos de que necessitamos e que o nosso organismo não produz por si só, e cujos substitutos NUNCA podem alcançar, é pouco menos do que um disparate.

Uma lógica ideológica bem analisada e conscienciosamente fundamentada que leva alguém a abdicar das proteínas animais não é discutível, mas o argumento baseado na saúde ou no respeito pelo ambiente que nos incita a modificar a nossa dieta é, no mínimo, falso e irresponsável.

Aquele que acredita estar a cuidar do ambiente está a abandonar uma nutrição adequada e verdadeiramente saudável por nada, e quem o convenceu a fazê-lo, enganou-o com sucesso. Ele está a negligenciar a sua saúde e a sua própria saúde em troca de uma conveniência fictícia. Como já explicámos várias vezes, a pecuária não contribui significativamente para o aquecimento global, porque o metano que afecta este fenómeno climático provém da queima de combustíveis fósseis que se acumulam durante milhares de anos na atmosfera, por oposição ao metano emitido pelos ruminantes que faz parte de um ciclo biogénico que após alguns anos é reciclado na fotossíntese das plantas que os alimentam.

E embora se trabalhe diariamente para tornar a utilização de recursos, como a água, mais eficiente, a sua utilização na pecuária não representa um risco nem para a natureza nem para as pessoas para quem este bem precioso é escasso. Porque a água não é desperdiçada. Faz também parte de um ciclo infinito de reutilização. Para lhe dar outro exemplo, a pecuária utiliza mais de 90% da água da chuva que não tem uso alternativo, não utiliza água potável. Muito menos se compararmos a água consumida por uma vaca na pastagem com uma amêndoa produzida sob irrigação. A utilização de água verde ou pluvial não contribui para a escassez de água em qualquer lugar.

O que podemos dizer sobre o abuso de animais como argumento para abandonar os alimentos que nos permitiram ter um desenvolvimento cognitivo superior ou desfrutar da maior esperança de vida da história humana? A produção animal, assim como praticamente todas as nossas actividades económicas, está estritamente regulamentada, tanto em termos de saúde como de bem-estar animal. Por outras palavras, se não basta saber que uma vaca que não é feliz, confortável, saudável e bem alimentada não dá leite de forma rentável, existem leis que obrigam o produtor a manter o seu rebanho em condições de bem-estar, e que ele também trabalha com animais devido a uma afinidade com eles que o leva a ser gentil e compassivo, porque ele também é um ser humano.

A menos que tenha uma condição de saúde particularmente agravada pelo consumo de certos alimentos, é uma tolice aderir a modismos que procuram removê-los da nossa dieta, especialmente aqueles como o leite, que são fundamentais e insubstituíveis para a nossa conformação e manutenção física, bem como para o nosso sistema imunitário.

É tempo de a moda estar a comer bem. É tempo de começar a chamar as coisas pelos seus nomes e de colocar o saudável e o real no mesmo nível. O leite, o verdadeiro material, é o que sai das mães das vacas, que crescem e vivem felizes em quintas de cuidados gentis, é delicioso, é necessário, é benéfico em todos os sentidos e é amigo do ambiente.

Comer lacticínios é bom para si. É tempo de ser autêntico e genuinamente saudável: estou a tratar disso. Já bebeu o seu copo de leite hoje?

 

Valeria Guzmán Hamann

EDAIRYNEWS

A inflação de dois dígitos não livrou nem o leite das crianças que, dependendo do tipo, passa de R$ 10 nos supermercados do Rio.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER