O Encontro Anual da Federação Internacional de Lacticínios analisou o impacto real da pandemia nos primeiros 5 meses do ano. Estas são as conclusões:
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

POIS IFCN O MEDO É MAIOR QUE O IMPACTO REAL DA COVID-19 NO SETOR LÁCTEO AINDA

Crise leiteira relacionada à COVID-19 – o medo supera o impacto

Especialistas em laticínios de 70 países discutiram a crise leiteira relacionada à COVID-19 durante a 21ª Conferência da Federação Internacional de Laticínios, nos dias 2 e 3 de junho.

A conferência focou na situação do mundo dos laticínios e em como entrar e sair da crise.

2019 – é importante entender o ano anterior à crise

O crescimento da produção de leite de 1,4% foi significativamente inferior à média (2,3%) em 2019. Isto foi impulsionado principalmente pela Índia, Oceania, África e Oriente Médio. Enquanto isso, a crescente popularidade das alternativas ao leite nos países ricos e a reduzida disponibilidade de leite nas economias emergentes desacelerou o crescimento da demanda.

A economia da atividade leiteira pareceu mais positiva, já que o preço mundial do leite aumentou 6%, para um nível de US$37,3/100 kg em 2019. No entanto, para muitos produtores, especialmente nos Estados Unidos e na União Européia, este preço do leite é muitas vezes “muito pouco para viver e muito para morrer”, para citar o Dr. Torsten Hemme.

O caminho para a crise – evolução até maio de 2020

O desempenho do preço nacional do leite no nível da fazenda pode ser usado como indicador de uma crise. O mapa descreve as tendências dos preços nacionais do leite em 75 países em maio, em comparação com fevereiro de 2020. Parece que ainda não há uma grande crise, pois os preços do leite caíram em média 4,6 por cento.

Entretanto, há dois grandes países que poderiam ser considerados como o “epicentro da crise leiteira”: os Estados Unidos e a Índia, com quedas de -29% e -19%, respectivamente. O levantamento dos especialistas em laticínios revelou que um terço deles considerava seu país apenas no início da crise. Mas também, dois terços dos participantes pensaram que a crise já havia chegado ao fundo do poço.

Saindo da crise – Perspectivas de preço do leite até o final de 2020

As perspectivas para os preços mundiais do leite em 2020 continuam complexas, e as opiniões dos mercados futuros e dos analistas não estão alinhadas. No início de junho, os mercados futuros de laticínios esperam uma rápida recuperação nos preços do leite para um nível de US$ 35/100 kg de leite em julho. Isto pode ser descrito como um cenário de preço em “V”.

A maioria dos especialistas em lácteos na conferência espera uma recuperação em forma de U e, portanto, um período de tempo maior até que os níveis de preços anteriores sejam alcançados novamente. A razão é o sólido crescimento da oferta de leite em 2020 até o momento, juntamente com uma alta probabilidade de diminuição da demanda per capita como resultado da crise econômica.

Serão necessárias mais pesquisas sobre os estoques leiteiros e a possível mudança da demanda leiteira nos países em desenvolvimento do setor informal para o formal, o que poderia ter um impacto positivo sobre as importações de laticínios. No final da conferência ficou muito claro que o monitoramento em tempo real dos indicadores do setor lácteo é essencial. A IFCN irá atualizar suas pesquisas nos próximos meses para ajudar as pessoas do mundo lácteo a navegar melhor nestes tempos.

Traduzido com a versão gratuita do tradutor – www.DeepL.com/Translator

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER