Queijo foi incluído em medida que isenta tarifa de diversos produtos que, na visão do governo, têm impactro sobre a inflação.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

O governo isentou de imposto a muçarela importada. O produto foi incluído em uma medida anunciada pelo Ministério da Economia, no dia 21 de março, para diversos produtos que, na visão do governo, têm impacto na inflação. A tarifa anterior para a importação desse queijo era de 28%. Com o produto importado mais barato, o preço da muçarela vai cair? O que muda com importação de queijo sem taxa?

O presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Abraleite), Geraldo Borges, o presidente da Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce, João Marques Pereira Neto, e o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Queijo (Abiq), Fábio Scarcelli, dizem que a entrada do alimento importado pode até conter os preços do produto no curto prazo, mas o consumidor vai sair perdendo porque a oferta será prejudicada com o desestímulo ao produtor nacional.

“A isenção do imposto de importação pode gerar um impacto positivo no primeiro momento e uma expectativa no mercado, mas a muçarela não deve chegar mais barata ao consumidor final devido às dificuldades logísticas e aumento de fretes”, diz Pereira Neto. Ele acrescenta que é natural o preço estar mais alto agora por conta da entressafra do leite.

Segundo Borges, da Abraleite, as regiões Nordeste e Centro-Oeste, com destaque para Goiás, onde está a maior produção de muçarela, devem sofrer mais os impactos da isenção. Ele teme que outros produtos lácteos possam receber isenções futuras, o que “seria um desastre.”

Paulo Martins, ex-chefe geral da Embrapa Gado de Leite e pesquisador do setor há mais de 20 anos, diz que a medida, embora tenha o bom propósito de conter a inflação, só se justificaria se houvesse um processo especulativo no país ou algum oligopólio, o que não ocorre.

“O leite impacta muito a inflação dos alimentos e os governos historicamente buscam mecanismos para interferir no preço. A partir dos anos 90, não houve mais tabelamento, mas o governo insiste na interferência no mercado.”

O pesquisador lembra que a queda do dólar vai facilitar a entrada do produto  importado e classifica a isenção como “altamente nefasta” para a cadeia, trazendo um efeito psicológico forte neste momento de desestímulo ao produtor. Segundo ele, o poder aquisitivo do consumidor está baixo e o preço do leite pago ao produtor só não está ainda menor devido à retração da oferta na virada do ano em função do pouco estímulo ao produtor e do clima, com seca e muito calor na região Sul e muita chuva no Brasil Central.

Martins destaca que o leite é o produto mais interiorizado do país e, entre as capitais, só não é produzido em São Paulo. “A produção de leite está entre as três atividades que mais geram renda e emprego na maioria das cidades brasileiras.”

Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), em 2021 foram importadas 16.043 toneladas de mussarela. A produção nacional sob inspeção federal SIF foi de aproximadamente 390 mil toneladas, de acordo com a Abiq. Mais de 90% do volume importado vem de países do Mercosul, que não pagam tarifa. A isenção abre caminho para o queijo vindo da Europa e especialmente dos Estados Unidos.

“Enxugar gelo”. Você já sentiu essa interminável sensação?

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER