Recentemente o IBGE divulgou os dados da produção de leite no Brasil referentes ao último trimestre de 2020. Com isso, no acumulado do ano, Mato Grosso registrou uma queda de 5,14% no comparativo anual, resultando no volume de 479,85 milhões de litros de leite produzidos.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Esse decréscimo foi puxado principalmente pela queda mais acentuada na captação do 3°trim.20. Nesse período a seca é mais intensa no estado, no entanto, em 2020 os níveis de precipitações foram ainda menores se comparado aos anos anteriores.

Com o aumento no custo de produção, os produtores de leite viram na forte valorização do preço da arroba da vaca gorda uma oportunidade de ganho, e destinaram suas matrizes para abate.

Para 2021, a produção estadual de leite pode continuar em queda, uma vez que os fatores que balizaram seu decréscimo no ano passado ainda são visíveis no cenário atual.

O preço do leite pago ao produtor em mar.21 referente ao volume captado em fev.21 foi cotado a uma média de R$ 1,60/l, decréscimo de 2,36% no comparativo mensal. Esse cenário esteve atrelado a uma demanda que permaneceu estagnada, dificultando o escoamento dos produtos na ponta da cadeia.

Em fev.21, o índice de captação reduziu 9,01% ante o mês anterior, isso porque, mesmo estando em período de águas, algumas regiões apresentaram volumes de chuvas menores abaixo da média para o período. Vale destacar também que o mês de fevereiro apresentou uma menor quantidade de dias trabalhados, colaborando para este cenário.

Em razão da demanda interna enfraquecida, as importações de produtos lácteos reduziram 17,59% no comparativo mensal. Apesar da queda na variação mensal, quando comparado com fev.20, as importações em fev.21 foram 66,98% maiores.

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER