O pagamento realizado em agosto pelo leite captado no mês de julho teve uma alta estimada em 1,3%, segundo o zootecnista da Scot Consultoria, Rafael Ribeiro de Lima, chegando ao preço médio de R$ 2,10 por litro.  Apesar do aumento, segundo ele, os custos de produção seguem pressionando as margens de lucro. 
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Rafael Ribeiro de Lima – Zootecnista – Scot Consultoria

Logotipo Notícias Agrícolas

Lima explica que, no comparativo com agosto do ano passado, o aumento no preço chega a  26,9% mais esse ano. “No entanto, os custos de produção subiram 30,0% no mesmo período, mantendo as margens apertadas para o produtor”, pontua.

A alta registrada neste último pagamento está mais atrelada à oferta mais enxuta (ainda que a captação esteja aumentando gradualmente), do que pela demanda na ponta consumidora. “Temos um volume menor do que o normal, uma disputa pelos laticínios pelo produto. Ao mesmo tempo, temos uma demanda um pouco melhor do que se via no início do ano, mas ainda assim morna”, disse.

O volume de leite captado no país em julho aumentou 5,2% na comparação com junho, com a produção crescendo fortemente na região Sul e, em menor intensidade, no Sudeste e Brasil Central. Entretanto, na comparação com julho de 2020, o volume captado foi 4,9% menor este ano.

Segundo Lima, a perspectiva para o pagamento de setembro referente ao leite captado em agosto é de viés de estabilidade ou leve baixa.

Aumento acumulado nos últimos 12 meses atingiu 39,72%, aponta a Embrapa

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER