Demanda segue patinando, principalmente para produtos de maior valor agregado, como queijos e iogurtes.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Foto: Humberto Nicoline/Embrapa

 

* Reprodução permitida desde que citada a fonte.

Demanda segue patinando, principalmente para produtos de maior valor agregado, como queijos e iogurtes.

Neste dia 1 de junho, quando é comemorado o Dia Mundial do Leite, o produtor brasileiro tem boa notícia. O pagamento do leite ao produtor neste mês de maio, referente ao produto captado em abril, teve alta de 3,8%, segundo a média entre 18 Estados produtores feita pela Scot Consultoria. De acordo com Rafael Ribeiro de Lima, zootecnista da Scot, o preço ficou entre R$ 1,90/litro a pouco mais de R$ 2,00/litro, variando entre as bacias leiteiras.

“Esse aumento está mais apoiado na redução da captação, que em abril caiu 7,1%, do que na demanda na ponta produtora, que segue patinando. Inclusive, a demanda deve seguir incerta no próximo mês”, disse.

Os custos de produção subiram com menor intensidade em maio, segundo Lima, devido ao afrouxamento nos preços do milho e do farelo de soja. Entretanto, outros componentes da cesta de custos, como fertilizantes para pastagens, por exemplo, tiveram aumento.

A expectativa para o mês de junho que se inicia é de mais altas no preço pago ao produtor, movimento que deve seguir apoiado na redução da captação do leite e menos na demanda na ponta final.

Inventados para aliviar o trabalho nas salas de cura, eles ajudam na metamorfose dos queijos suíços.”

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER