Expectativa da Conab é que produção total do cereal fique em 94 milhões de toneladas, alta de 16,5% em relação ao ciclo anterior
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Atentos a esse cenário e já abastecidos, compradores consultados realizam pontualmente aquisições de pequenos lotes. Já produtores estão mais interessados em negociar, tanto no mercado à vista quanto no futuro.

 

Nesse contexto, os preços do cereal seguem em queda. Entre os dias 26 de abril a 3 de maio, o indicador Esalq/BM&FBovespa, referente à região de Campinas (SP), caiu 3,1%, fechando a R$ 33,21 por saca na sexta-feira, 3. No acumulado de abril, a baixa foi de fortes 12,5%, com o indicador voltando aos patamares de fevereiro de 2018, em termos nominais.

A expectativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é que produção total do cereal fique em 94 milhões de toneladas, alta de 16,5% em relação ao ciclo anterior. A primeira safra deve atingir 25,8 milhões de toneladas, com queda de 3,5% na comparação com a temporada anterior. Já a segunda safra deve chegar em 68,1 milhões de toneladas, alta de 26,4%.

Como em quase todos os aspectos da vida, o que é bom é bom porque está em equilíbrio: a dieta mais completa, mais ecológica e mais barata possível dentro dessa completude será composta de animal, com o leite desempenhando um papel de liderança, e vegetal.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER