A pressão de baixa vem do avanço da colheita da safra de verão e do bom desenvolvimento da segunda temporada, que gera expectativa de oferta elevada
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A pressão de baixa vem do avanço da colheita da safra de verão e do bom desenvolvimento da segunda temporada, que gera expectativa de oferta elevada

milho produção
Foto: Agência IBGE Notícias

O preço do milho no mercado futuro continua em trajetória de queda, segundo a consultoria Agrifatto. Nesta quarta-feira, dia 20, o contrato para setembro caia 0,56 pontos, alcançando R$ 33,30 por saca. Este é o menor patamar desde que o vencimento passou a ser negociado. Nos últimos 30 dias, o contrato acumula queda de 7,3%. nNo início do pregão, o vencimento para maio recuava 0,63 pontos, com parcial em R$ 35,70 por saca. Além disso, a queda acumulada é próxima a 10% na comparação mensal.

No mercado interno o cenário é parecido, com o valor do cereal registrando fortes ajustes para baixo. De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), a cotação média do milho em Campinas (SP) caiu 8,16% no acumulado de março. A última referência, de terça-feira, dia 19, fechou em R$ 37,71 por saca, menor valor desde 23 de janeiro de 2018.

A pressão de baixa vem do avanço da colheita da safra de verão e do bom desenvolvimento da segunda temporada, que gera expectativa de oferta elevada. A menor competitividade do cereal brasileiro no mercado internacional também influencia as baixas.

Em novembro, o preço do leite registrou nova queda em Minas Gerais.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER