"> Produção brasileira de leite representa cerca de 7% de todo o leite do mundo - eDairyNews-BR
A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realizou um estudo sobre Análise dos Custos de Produção e da Rentabilidade nos períodos de 2014 a 2017.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realizou um estudo sobre Análise dos Custos de Produção e da Rentabilidade nos períodos de 2014 a 2017. Os resultados apontaram o Brasil como o principal responsável por 7% de todo o leite do mundo.

Segundo a Conab, o Brasil teve um crescimento em média de 7% da produção do leite em nível mundial, o que levou o país a ocupar a quinta posição em relação a volume.

A pesquisa também apontou os quatro maiores produtores durante o período, sendo a União Europeia, com 30,47%, Estados Unidos, 19,6%, Índia, 12,8% e a China, com 7,21%, que, somando com a produção de leite brasileira, totalizam 76%. A Rússia teve um avanço de 6,5%. A China e a Índia são os países com maior índice populacional, e responderam por 20% da produtividade da bebida.

Durante o período de estudo, houve um aumento de 13,27% na produção mundial, apresentando uma média de 1,5% de crescimento. Os resultados mostram que, em relação aos países maiores, a Índia saiu na frente com 45,8%, avanço de 5,01% anual. Atrás dela, vem a Nova Zelândia, com 36,23%, avançando para 4,3% no período de 12 meses. Já a produção brasileira deslanchou em 21,89%, e ao ano aproximadamente 2,43%.

Estudo aponta lentidão no avanço da produção de leite no Brasil

Diante do levantamento realizado pela Conab, a produtividade do leite no país caminha lentamente. A instituição mostra que, no ano de 2014, houve um avanço de 35 bilhões de litros de leite. No entanto, percebe-se que Minas Gerais registra uma média de 27% do total da bebida no Brasil.

Enquanto isso, Rio Grande do Sul e Paraná evoluíram semelhantemente em termos de produção. É notório a redução na produtividade de Goiás e um avanço em Santa Catarina. Ambos apresentam uma média anual superior a um bilhão de litros de leite.

Segundo a entidade, o rebanho leiteiro de vacas ordenhadas no País teve o seu ponto máximo no ano de 2011, com 23,2 milhões de gados. O rebanho foi reduzido nos dois anos seguintes. No ano de 2014, teve um crescimento que chegou pouco mais de 23 milhões de cabeças.

De acordo, ainda, com o estudo da Conab, o volume de vacas ordenhadas tem reduzido, chegando ao ponto mínimo no ano de 2016, levando em consideração a série analisada, com 19,7 milhões de gados.

Como o ERP pode ser útil na indústria de laticínios

As indústrias de laticínios geram bilhões de litros de leite todos os anos. Para enfrentar a concorrência em um mercado tão competitivo, muitos produtores estão investindo cada vez mais em sistemas de gestão com o objetivo de melhorar os processos das atividades dos diversos setores de sua indústria e, principalmente, aumentar a produtividade e alcançar melhores resultados.

O ERP é um sistema de gestão que facilita ao gestor acompanhar todos os processos de produção de sua indústria de laticínios, e ainda faz a integração de todos os setores, de modo a melhorar a gestão produtiva e, dessa forma, aumentar a produtividade do leite com mais agilidade e eficácia.

Com a implantação do ERP, o gestor consegue visualizar possíveis falhas na produção, permitindo a ele criar estratégias para corrigi-las.

A Magistech é uma empresa que atua na implantação de sistema de gestão para empresas de pequeno, médio e grande porte. A empresa conta com diversas soluções tecnológicas altamente eficientes, como o sistema para laticínio voltado a indústrias.

Acompanhamento técnico melhora todos os indicadores das propriedades.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER