Resende- Com uma população do seu rebanho bovino estimado atualmente em 46.980 cabeças, o crescimento da agropecuária bovina em Resende tem se destacado atualmente,
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Resende- Com uma população do seu rebanho bovino estimado atualmente em 46.980 cabeças, o crescimento da agropecuária bovina em Resende tem se destacado atualmente, tanto na produção de carne como na produção leiteira.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Rural de Resende, Vinicius Cibien de Oliveira, em cinco anos o município registrou um aumento de cerca de 5 a 9%, em ambos os segmentos, tanto na produção de carne quanto de leite.

– Ambos os segmentos registraram um aumento significativo. Mas de dois meses para cá, com a reabertura da exportação de carne para os países dos Emirados Árabes e Turquia, o preço da arroba do boi, do gado de corte, teve um aumento significativo, em torno de 35%. A produção leiteira também teve um aumento razoável, onde também registramos uma melhora na qualidade do leite, que tem ocorrido no segmento – destacou.

Em relação à produção leiteira, o secretário ressalta que Resende, hoje, produz anualmente cerca de 23 milhões de litros de leite, e juntamente com Valença e Barra Mansa representa 70% da produção de leite produzido em todo o estado do Rio de Janeiro.

– Juntando esses três municípios totalizam 131 milhões de litros de leite, mas Resende produz hoje 23 milhões de litros anual – diz, acrescentando que o que está se destacando mesmo é o preço do boi de corte, em relação a essa reabertura da exportação.

– Então, hoje, se for comparar o gado de corte teve um maior aumento do que o gado de leite em comparação a preço – alerta.

Na opinião do secretário, o aumento do preço da carne está visível, o consumidor tem sentido isso diariamente nos açougues, e consequentemente a isso, sobe o preço do frango e do porco.

– Porque muita gente vai parar de comprar carne de boi pelo preço e vai aumentar a procura pela carne de porco e frango, é a lei de oferta e procura – explica.

Preocupado em manter a produtividade em alta, a secretaria de desenvolvimento rural tem ajudado de diversas formas aos produtores de leite e de gado de corte a aumentarem a sua produtividade.

– Um grande incentivo que a secretaria dá em relação à pecuária de leite são os torneios leiteiros curraleiros, que são feitos diretos nas regiões, direto na fazenda. E também há o Torneio Leiteiro da Exapicor e o da Amizade, que ocorrem na Área de Exposições anualmente. A secretaria também trabalha com campanha de vacinação, dia de campo, palestras e atendimentos clínicos – afirma.

Apesar do grande apoio e incentivo dado pela pasta junto aos produtores, o secretário admite que eles ainda enfrentam algumas dificuldades para aumentarem a sua produção de carne e leite em Resende.

– Uma dificuldade que o produtor encontra é para escoar a sua produção. Resende possui mais de 700 km de estradas rurais, as chamadas estradas de terra. A Prefeitura comprou recentemente máquinas pesadas para fazer a manutenção dessas estradas e vem fazendo isso diariamente. Outra dificuldade é ter acesso a novas tecnologias e a animais de alta qualidade. O que vem aos poucos mudando – explica.

 

“Enxugar gelo”. Você já sentiu essa interminável sensação?

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER