A produção de grãos do país deve alcançar 236,7 milhões de toneladas, apenas 900 mil toneladas abaixo do recorde de safra registrado em 2016/2017, de acordo com o 8º Levantamento da Safra de Grãos 2018/2019
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A produção de grãos do país deve alcançar 236,7 milhões de toneladas, apenas 900 mil toneladas abaixo do recorde de safra registrado em 2016/2017, de acordo com o 8º Levantamento da Safra de Grãos 2018/2019, divulgado nesta quinta-feira (9), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A estimativa aumentou em relação ao levantamento anterior, quando a previsão era de colher 235,3 milhões de toneladas.

A área plantada está estimada em 62,82 mil hectares, com acréscimo de 1,1 milhão na comparação com a safra 2017/2018.

A colheita de milho deve ultrapassar 95 milhões de toneladas devido às chuvas que ocorreram nos últimos meses nas regiões produtoras da segunda safra do grão, principalmente no Centro-Oeste.

“Além do clima favorável em todo o ciclo da cultura o produtor pôde aproveitar integralmente a janela ideal de cultivo, uma vez que houve antecipação da colheita da soja”, explica o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, Guilherme Bastos.

“Com o desempenho da produção, a tendência é que os estoques de passagem subam, o que deve impactar os preços do produto, podendo, inclusive, ficar abaixo do valor mínimo determinado pelo governo na entrada da segunda safra”, prevê.

A soja se mantém como principal produto, com colheita prevista em 114,3 milhões de toneladas. “O algodão também tem se revelado boa opção para os agricultores. Com o consumo mundial maior que a oferta, a área da cultura deve crescer em 35,4%, registrando produção de 2,7 milhões de toneladas de pluma”, informa o diretor. “Vale lembrar que, nos últimos 10 meses, a exportação da cultura pelo país atingiu o nível recorde de 998 mil toneladas”.

Culturas de Inverno

O plantio das culturas de inverno deve se intensificar a partir de maio com encerramento em junho. O trigo, principal grão cultivado nesse período, registrará área de aproximadamente 2 milhões de hectares, o que representa redução de 68 mil hectares em relação à safra anterior. A redução reflete os resultados obtidos no ciclo passado, quando o cereal colhido não apresentou qualidade satisfatória, desestimulando os produtores.

Para mais informações sobre a produção de grãos no Brasil acesse o 8º Boletim

Os empresários mexicanos que se dedicam ao negócio do queijo e laticínios têm enfrentado uma situação difícil nos últimos meses.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER