No segundo semestre do ano passado, quando lançamos o Movimento Construindo Leite Brasil, fiz uma reflexão pública sobre a situação do produtor de leite e a falta de políticas públicas que apoiem efetivamente o setor.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

No segundo semestre do ano passado, quando lançamos o Movimento Construindo Leite Brasil, fiz uma reflexão pública sobre a situação do produtor de leite e a falta de políticas públicas que apoiem efetivamente o setor. Passado um ano, é lamentável constatar que nada mudou de fato.

Continuamos onde estávamos: pagando para trabalhar num mercado em que não fomos minimamente respeitados. Nem mesmo a previsibilidade de pagamento do leite conseguimos alcançar.

Ou seja, seguimos entregando o produto diariamente sem saber quanto vamos receber cerca de 50 dias depois. Isso sem falar do alto custo de produção, da desvalorização do leite e da concorrência internacional desleal.

Por isso, achei oportuno republicar o vídeo (clique aqui para assistir) e o que escrevi em 2018:

‘O cara fica um pouco parado e pensando em tudo que vem acontecendo ultimamente na pecuária leiteira brasileira.

Não tem cabimento.

Realmente uma falta de competência política

Não tem cabimento isso.

Muitos produtores parando, cansados de pagar para trabalhar.

Muitos produtores investindo, e investindo pesado, em tecnologia, genética etc.

Até aí tudo bem. Quem quer crescer, tem que investir.

Mas aí eu pergunto: De que adianta isso?

O país tem um dos maiores, se não o maior, custo de produção do mundo. Por causa dos políticos incompetentes que fazem as coisas erradas e aumentam impostos e mandam a conta para i produtor.

Os mesmos políticos que articulam medidas para beneficiar grandes empresas e que mandam a conta para nós.

Os mesmos políticos que baixam impostos de importação, mas aumentam impostos para o setor produtivo nacional.

Os mesmos que criam créditos e empréstimos para os produtores investirem, mas que conseguem inviabilizar os investimentos aumentando o custo de produção.

Quando é pra perdoar uma dívida, perdoam a que tem para receber de outros países e das grandes empresas, quase sempre também grandes devedoras.

Ainda tenho esperança que está nova geração de políticos que foi eleita agora trabalhe e trabalhe muito para resolver estas situações.

Ninguém está pedindo perdão de dívida, muito menos esmola. Mas está, sim, querendo o direito e o respeito de volta. Para poder produzir com dignidade e ter lucro.

Não só ter que trabalhar para sustentar esse monte de desocupados que ultimamente só trabalharam para prejudicar o produtor

Vamos refletir e trabalhar para que esta situação mude de uma vez por todas.

Reflitam por favor e analisem quanto falta de respeito e injustiça o produtor de leite passa todo dia.

Pelo setor produtivo brasileiro: Não à importação de leite.

Pela volta do respeito pelo produtor de leite.

Gente competente tem, só falta vontade política.

Escutem o produtor

Leite é vida.

Vaca não desliga.

Valorize quem produz.

Vamos à luta.’

*Produtor de leite do município gaúcho de Doutor Maurício Cardoso

“Enxugar gelo”. Você já sentiu essa interminável sensação?

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER