Ao se posicionar contra uma possível suspensão temporária das importações de produtores lácteos, como defende a Abraleite
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

 

Ao se posicionar contra uma possível suspensão temporária das importações de produtores lácteos, como defende a Abraleite (clique aqui para ler), a Aliança Láctea Sul Brasileira causou indignação entre a base produtora do setor. Neste domingo 8, os movimentos Construindo Leite Brasil, Inconfidência Leiteira, Aliança e Ação e União e Ação enviaram mensagem ao coordenador da Aliança e presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios do RS (Sindilat/RS), Alexandre Guerra, manifestando sua insatisfação e pedindo que ele reveja seu posicionamento.

Na mensagem, os quatro movimentos enfatizam que o recente aumento das importações de produtos lácteos é prejudicial aos produtores de leite, que já enfrentam uma situação difícil devido aos elevados custos de produção e a problemas climáticos, como a seca ocorrida no Sul do país. Conforme dados da Secex, o volume de produtos lácteos importados no segundo trimestre de 2020 teve alta de 62,8% em relação ao mesmo período de 2019. Em setembro, também segundo a Secex, a importação foi 80% superior a 2019.

“Gostaríamos que o Alexandre Guerra entendesse que somos milhares de produtores que neste momento vivemos uma situação muito difícil. Saímos de uma seca severa no verão passado nos estados do Sul e agora enfrentamos novas adversidades climáticas, que se somam aos efeitos da pandemia do coronavírus, aos altos custos de produção e a perda de preços ao produtor”, disse ao AGROemDIA o empresário produtor de leite Rafael Hermann, do município de Boa Vista do Cadeado (RS) e um dos coordenadores do Construindo Leite Brasil.

Neste cenário, acrescentou o pecuarista de leite gaúcho, as importações de produtos lácteos estão agravando mais a situação do setor. “Suspender as importações de produtos lácteos temporariamente é questão de sobrevivência no campo. Por isso, apoiamos fortemente a posição da Abraleite e esperamos que Aliança Láctea Sul Brasileira reveja sua posição.”

Para Alexandre Guerra, em vez de suspender as importações de produtos lácteos, o setor precisa se tornar mais competitivo. “O que devemos é buscar competitividade para sermos atrativos tanto aqui quanto lá fora”, disse o dirigente da Aliança e do Sindilat/RS, por meio de nota, divulgada pela revista Globo Rural.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER