Como forma de minimizar os impactos causados pela estiagem, a CCGL vai antecipar, de abril para março, o pagamento do retorno sobre a produção de leite entregue durante o ano de 2021.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Valor total distribuído para os criadores será de R$ 10 milhões COTRIROSA/DIVULGAÇÃO/JC
 Os associados da Cotrirosa que entregaram, de forma ininterrupta e que estiverem ativos no sistema CCGL até a data prevista para o efetivo pagamento, receberão R$ 0,02 de retorno por litro de leite entregue.
Ao total, serão distribuídos R$ 10 milhões. O valor é parte dos 20% das sobras do exercício destinadas diretamente aos produtores, conforme prevê o estatuto da CCGL.
A antecipação foi aprovada em Assembleia Geral Ordinária, ocorrida na semana passada. Na oportunidade, também foi aprovado o pagamento permanente e mensal do adicional de R$ 0,02 por litro de leite originado em propriedades certificadas livres para brucelose e tuberculose. A ação da CCGL será incorporada nos valores atuais como política de incentivo de qualidade e sanidade, a partir do leite precificado no mês de janeiro deste ano, e já terá seu primeiro pagamento em 15 de fevereiro de 2022.
Segundo o médico veterinário da Cotrirosa, Augusto Moroni, a certificação das propriedades de Livres para Tuberculose e Brucelose já vem acontecendo há muito tempo na Cooperativa. “O certificado emitido pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento garante qualidade no leite e também é um dos critérios que habilita a indústria para exportação da matéria-prima”, explica.
Além dos produtores, os municípios de origem do leite também recebem o retorno do ICMS incidente sobre a comercialização do produto.
Para o presidente da Cotrirosa, Clenir Antonio Dalcin, “a antecipação do retorno e o pagamento mensal às propriedades certificadas garantem um incremento na renda das famílias que trabalham com leite e também auxilia neste momento difícil devido ao clima”, comenta.

Desestimulados com o mercado leiteiro em Goiás, produtores abandonam a produção e preço do leite dispara.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER