Decisão foi anunciada na sexta-feira (6), durante audiência em Pontes e Lacerda, que reuniu produtores, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e representantes do governo
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Decisão foi anunciada na sexta-feira (6), durante audiência em Pontes e Lacerda, que reuniu produtores, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e representantes do governo

Pequenos produtores de leite da região oeste de Mato Grosso poderão parar a entrega do produto, a partir de 1º de abril, caso os laticínios não concordem em reajustar o preço do litro, que atualmente varia entre R$ 0,77 e R$ 1,02, para R$ 1,17. A decisão foi tomada em votação durante a audiência pública realizada pela Assembleia Legislativa, na sexta-feira (6), na sede do Sindicato Rural de Pontes e Lacerda e que reuniu produtores de todos os municípios da região, além de prefeitos, vice-prefeitos,vereadores e representante do governo estadual. O setor de laticínios não enviou representante ao debate.

O deputado autor da proposta da audiência, Valmir Moretto (Republicanos), anunciou que levará a informação, oficialmente, ao governador Mauro Mendes para que se possa articular uma solução. “Vamos articular junto ao governo uma reunião para debater política pública para toda a cadeia produtiva”, afiançou.  Além do reajuste no preço, os produtores querem assistência técnica dos órgãos de governo mais presente; que haja uma contrapartida dos laticínios em fornecer assistência técnica aos pequenos produtores, além de programas que contribuam para que os jovens possam estudar e permanecer no campo.

-Continua depois da publicidade ©-

A decisão de paralisação a partir de abril foi tomada durante fala do presidente do Movimento Beba Mais Leite, Cristiano Alvarenga. Os produtores reclamam que a região tem o menor preço pago por litro entre as regiões mato-grossenses. Alvarenga citou dados disponíveis no site do Imea e que mostram os preços segundo as regiões mato-grossenses, sendo: centro-norte R$ 1,16; centro-sul R$ 1,01; médio-norte R$ 1,09; nordeste R$ 1,17; sudeste R$ 1,16 e oeste R$ 1,02.

“Precisamos que o produtor de leite seja mais respeitado, precisamos discutir políticas públicas com a união das classes produtoras”, disse o prefeito de Pontes e Lacerda, Alcino Pereira Barcelos (Republicanos). “Que tenhamos um preço de leite que compense os investimentos do produtor”, emendou o prefeito de Vale de São Domingos, Geraldo Martins da Silva (PSB).

O agricultor Marildo Prachedes, de Curvelândia, vende seu leite ao preço de R$ 0,77 e falou das dificuldades de sobreviver a este valor. “Não dá para pagar os custos e a família fica passando dificuldades. Precisamos de melhoria no preço, da Empaer mais presente e que o valor seja com base no que gastamos para produzir e não pela indústria dizendo quanto quer pagar”.

O secretário-adjunto de Estado de Agricultura Familiar, Carlos Alberto Simas de Almeida, que representou o governador no evento,  explicou que o estado está trabalhando no incentivo à cadeia produtiva do leite pelo  programa de fomento à melhoria do plantel em três perspectivas: doação de embriões, melhoria de sêmen e doação de fêmeas. Ainda neste mês acontece a primeira transferência de embriões. “A empresa já foi licitada, já escolheu o lote e fará a transferência dos embriões agora em março para uma primeira geração com maior qualidade do gado”, explicou.

Inicialmente, serão distribuídos 600 embriões, com meta de chegar a 3 mil embriões doados em 2021. “Paralelo à distribuição, está sendo feito outro trabalho, de incremento de sêmen para que as fêmeas possam ter bezerros de melhor qualidade”, garantiu. Carlos Alberto disse também que a distribuição está sendo feita dentro de critérios estabelecidos com os pequenos produtores e através das cooperativas.

Em novembro, o preço do leite registrou nova queda em Minas Gerais.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER