Segundo os produtores rurais, a produção do leite já está saindo mais cara que a venda
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Produtores de leite rurais estão preocupados com o alto número de vendas de leite em pó no interior do estado. Os produtores já realizaram protesto contra a importação do leite em pó da União Europeia e da Nova Zelândia, eles defendem a instalação de empresas onde seria gerado empregos e renda para o estado.

De acordo ainda com os produtores rurais, a produção do leite já está saindo mais cara que a venda. Dilson Peixoto, secretário de Desenvolvimento Agrário, em entrevista ao programa de Geraldo Freire, explica se tem condições de atender ao pedido dos produtores rurais. “É um processo muito complexo. Teve um momento na seca que a produção de leite caiu bastante e para suprir a demanda, o governo liberou a importação do leite em pó”, disse. “Desde quando eu assumi, recebi vários representantes deles e o pleito deles era basicamente acabar com a isenção fiscal para a importação do leite em pó”, concluiu o secretário.

Segundo Dilson Peixoto as empresas que se instalaram no estado, assinaram um compromisso de consumir parte considerável do leite produzido aqui e quando o preço do leite em pó baixou demais, eles pararam de comprar do produtor local. A isenção foi feita para que elas produzissem do leite fornecido pelo produtor pernambucano.

Multa

As empresas têm um protocolo de intenções e caso não cumpra, a empresa pode ser multada, com explica o secretário. “As empresas que estão instaladas são tem um protocolo de intenções daquela empresa que diz que ela teria que comprar x litros de leite, se ela não estiver cumprindo, será aplicado uma multa pesada e pode perder a isenção fiscal”, finalizou.

Ouça a entrevista na íntegra:

A fraca demanda pressionou o valor, que caiu 0,6% no mês e 5,6% em 12 meses.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER