Os produtores de leite relatam que têm registrado queda nos lucros por conta da diminuição, de 15% a 20%, no preço pago pelo leite, e do aumento, de 25% a 30%, nos custos dos insumos.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Os produtores de leite relatam que têm registrado queda nos lucros por conta da diminuição, de 15% a 20%, no preço pago pelo leite, e do aumento, de 25% a 30%, nos custos dos insumos. De acordo com o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Passos (Sinrural), Darlan Esper Kallas, o produtor, principalmente o pequeno, está com uma margem de lucro muito pequena, pois o leite está sendo vendido por volta de R$1,20 a R$1,40.

“É muito pouco, visto que o preço da alimentação dos animais subiu muito. Na hora que os produtores fazem a conta final, percebem que está tudo muito complicado. Em Passos, há sempre uma expectativa de melhora. Estamos entrando na entressafra, a tendência é de melhora no preço do leite. Sempre trabalhando com a margem de lucro muito apertada”, comentou.

O produtor Thalles Carvalho Chaves afirma que seu rebanho produz cerca de 250 litros de leite por dia e que observou uma queda de R$0,20, representando uma redução de R$50 ao dia. Com a época de seca, Thalles explicou que não há como mexer na nutrição das vacas, portanto, acaba ficando com o prejuízo. O mesmo tem acontecido com José dos Reis Chaves que é leiteiro e comentou que o alto custo na produção do leite tem influenciado no seu salário mensal. Acrescentou, ainda, que quando o leite é valorizado, chega a buscar 260 mil litros por mês, mas agora, com a desvalorização, está buscando 170 mil litros.

“Eu pego o leite direto nas fazendas dos produtores e levo para as indústrias. Quando o preço está bom, os produtores animam e investem em gado leiteiro e eu puxo mais leite mensalmente, ganho por litro. Agora está até melhor um pouco, pois o preço do óleo diesel baixou, mas quando estava alto, não me sobrava, era apenas para pagar as contas do mês”, pontuou.

De 25% a 30% nos custos da produção, influenciados pela alta do dólar, e a queda de 15% a 20% do preço pago ao produtor pelo leite são fatores que explicam a diminuição dos lucros, segundo Humberto Orlandi, presidente da Associação dos Produtores de Leite do Médio Rio Grande (Aproleite).

No início da pandemia do coronavírus (covid-19), houve uma corrida aos supermercados e isso fez com que vários produtos sofressem aumentos nos preços. Um deles foi o leite, que estava sendo vendido por mais de R$3. No entanto, Orlandi afirmou que esse aumento não foi repassado para os produtores.

“Esse preço caindo e juntando o momento de alta do dólar, onde temos cotações de farelo de soja nos patamares mais altos já vistos, milho muito caro e os produtos dolarizados utilizados na fazenda subindo, houve um desestímulo na produção de leite em geral no país e a nossa região correspondeu da mesma forma. Então, essa é uma razão que poderia dizer sobre empresas estarem diminuindo a captação de leite. A produção continua baixa e com tendência de queda e isso pode, é uma suposição minha, levar a uma reação nos preços de leite. Pode vir a ser confirmado a partir deste mês, mas não sabemos se essa alta vai ser o suficiente para estimular a produção visto que os custos continuam em patamares nunca antes vistos”, esclareceu.

 

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER