Produtores de leite da Sardenha voltaram às ruas da cidade para protestar contra a queda no preço da bebida, que é vendida para a indústria alimentícia por cerca de 60 centavos de euro por litro.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Produtores de leite da Sardenha voltaram às ruas da cidade para protestar contra a queda no preço da bebida, que é vendida para a indústria alimentícia por cerca de 60 centavos de euro por litro. Na manhã deste domingo (17), os manifestantes interromperam o tráfego em diversas estradas da ilha e fizeram uma blitz em um caminhão que transportava leite para Cuglieri, na província de Oristano. Milhares de litros do produto foram jogados no asfalto em sinal de protesto. Segundo relatos obtidos pela ANSA, o motorista do veículo foi forçado a parar para o grupo pegar o leite. Diversos vídeos da manifestação circulam nas redes sociais.

O ato acontece pouco mais de 12 horas depois das industrias e produtores chegarem a um acordo para negociar a criação de um piso de 72 centavos por litro nesses primeiros meses do ano.

Ontem (16), o ministro de Políticas Agrícolas da Itália, Gian Marco Centinaio, compareceu à Sardenha para conversar com os pastores, que também acusam fabricantes de queijo, seus principais compradores, de se unirem para derrubar o preço do leite de cabra e ovelha. Após negociações, o vice-premier e ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, comemorou a proposta. “Os 72 centavos por litro (como pagamento) são mais um passo em frente para resolver o problema do leite de ovelha, o que é uma excelente notícia”.

“Podemos dizer que iniciamos um novo caminho, juntamente com pastores da Sardenha, a indústria e com o governo, que não usou a repressão, mas o diálogo e o senso comum”, acrescentou Salvini, ressaltando que visitará a região. No entanto, um dos representantes dos produtores, Gianuario Falchi, explicou que ainda não tomou uma decisão. “É preciso fazer uma análise”. A Sardenha é responsável por quase todo o leite ovino extraído na Itália, e mais da metade da produção é destinada à fabricação do queijo pecorino. (ANSA)

O preço médio da cesta de derivados lácteos variou negativamente no mês de novembro/2021. Na média ponderada, a retração foi de 7,21%, em relação dos preços observados pela indústria de laticínios no mês anterior. O resultado foi divulgado nesta segunda-feira (29/11) no Boletim de Mercado do Setor Lácteo Goiano.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER