A Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos – SP) e a Nestlé estão monitorando o consumo de água de 60 propriedades leiteiras no país.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Foto: Gisele Rosso/Embrapa

A Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos – SP) e a Nestlé estão monitorando o consumo de água de 60 propriedades leiteiras no país. Comparando-se o consumo total das fazendas em 2019 com o de 2020, a economia chegou a 19 milhões de litros de água. Isso equivale a água ingerida por mais de 300 mil vacas em fase de lactação em um ano, diz o pesquisador Julio Palhares, da Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos -SP).

O acompanhamento ocorre há dois anos em 60 propriedades nos estados de São Paulo, Paraná, Goiás e Minas Gerais. O monitoramento é realizado mensalmente por meio de hidrômetros instalados em vários pontos de consumo. Com ajuda de técnicos, são feitas anotações em planilhas ou diretamente no aplicativo leiteria da Nestlé.

Segundo Barbara Sollero, gerente de Desenvolvimento de Fornecedores e Qualidade da Nestlé Brasil, a partir de indicadores gerados, na segunda fase do programa serão propostas ações para melhorar a eficiência hídrica nas fazendas. Monitorar a água com hidrômetros, assinala, não é uma prática usual nas propriedades. Para ela, isso é uma inovação e a parceria terá dados em larga escala para gerar pesquisas e propor ações de manejo sustentável desse recurso tão importante.

Só com o monitoramento já foi possível identificar ganhos de eficiência hídrica. Em uma das fazendas, em sistema semiconfinado, onde o hidrômetro mede os consumos da água de lavagem do curral e da sala de ordenha, identificou-se uma redução de 36% no consumo de água. “Isso significa 3 mil litros a menos de água consumida em 2020, o que equivale ao consumo de uma família rural de quatro pessoas por uma semana. O número de vacas em lactação e a produção de leite de 2019 para 2020 mantiveram-se iguais”, sublinha Palhares.

O Programa de Boas Práticas Hídricas, uma parceria entre a Embrapa Pecuária Sudeste e a Nestlé, tem duração de quatro anos e busca levar a gestão da água para as fazendas leiteiras, tornando o uso desse recurso mais eficiente.

Manejos simples, como raspagem do piso e lavagem sob pressão, podem fazer a diferença na economia de água. Conforme o pesquisador, detectar vazamentos também é uma prática bastante eficaz contra o desperdício. Outras medidas podem custar um pouco mais de investimento, como a reutilização da água da lavagem da sala de ordenha para fertirrigação e sistema de captação da água da chuva, mas trazem retorno financeiro e ambiental.

Para que a produção agropecuária seja sustentável, é essencial que o produtor adote boas práticas hídricas na propriedade. Além da melhor gestão da água, o manejo hídrico é uma importante ferramenta para a preservação e conservação dos recursos naturais.

Aumento acumulado nos últimos 12 meses atingiu 39,72%, aponta a Embrapa

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER