As propriedades rurais que participam do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) em Bovinocultura de Leite obtiveram um incremento de 23,8 milhões de reais em 2019. O resultado foi apresentado pela coordenadora de assistência técnica e gerencial Paula Araújo Dias Coimbra Nunes durante Seminário em Chapecó.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

As propriedades rurais que participam do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) em Bovinocultura de Leite obtiveram um incremento de 23,8 milhões de reais em 2019. O resultado foi apresentado pela coordenadora de assistência técnica e gerencial Paula Araújo Dias Coimbra Nunes durante Seminário em Chapecó.

O programa iniciou em território barriga-verde em 2016 e é desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc). Nesses três anos, o Sistema Faesc/Senar atendeu 2.700 produtores da cadeia produtiva do leite.  Atualmente, participam do programa 62 grupos, que totalizam 1.800 propriedades rurais em 165 municípios, em parceria com 52 Sindicatos Rurais, agroindústrias e cooperativas.

A Assistência Técnica e Gerencial é um processo educativo de caráter continuado que visa atender a produtores rurais por meio de uma metodologia fundamentada em ações de diagnóstico, planejamento, adequação tecnológica, formação profissional do produtor e análise de resultados, de forma a possibilitar a disseminação de tecnologias associadas à consultoria gerencial. As propriedades são assistidas em Santa Catarina por um período de 2 a 4 anos, incluindo gestão, manejo adequado, melhoria da alimentação, das instalações, nutrição, qualidade do leite e bem-estar animal.

O perfil das propriedades rurais assistidas é o seguinte: produção média mensal de11.556 litros de leite, produção média diária por vaca de 18,34 litros, número médio de animais em lactação por propriedade 20,8 vacas, preço médio do leite R$ 1,29 por litro em 2019.

Ao participarem do ATeG, os criadores obtiveram aumento médio de 8% na produção, o que equivale a um adicional de 10.272 litros por propriedade. No conjunto dos 1.800 estabelecimentos rurais integrados ao ATeG, o acréscimo da produção atingiu 18,5 milhões de litros. Esse incremento representa – com base no preço médio de 2019 a R$ 1,29/litro – a um faturamento adicional de 23,8 milhões de reais.

As avaliações também constataram que cresceu exponencialmente o número de propriedades que atendem aos critérios de qualidade de leite estabelecidos pela Instrução Normativa (IN) 76 em dois indicadores essenciais: em CCS (contagem de células somáticas) de 62% para 71% e em CBT (contagem bacteriana total) de 80% para 92%.

O presidente do Sistema Faesc/Senar José Zeferino Pedrozo  realçou que esses resultados comprovam que os objetivos de elevação da produção, produtividade, qualidade e renda foram amplamente alcançados. O superintendente do Senar Gilmar Antônio Zanluchiantecipou que a assistência técnica e gerencial continuará sendo prioridade porque “o objetivo é transformar os produtores em empresários rurais de alta performance”.

Um avião da Alemanha carregando mais de 31 toneladas de leite em pó para bebês pousou no domingo de manhã nos Estados Unidos, que sofre de uma grande escassez, de acordo com imagens transmitidas pela televisão americana.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER