Técnicas estão melhorando a qualidade dos queijos e aumentando a variedade disponível.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Queijarias do interior paulista abastecem mercado consumidor no Brasil — Foto: TV TEM/Reprodução

Queijarias do interior paulista abastecem mercado consumidor no Brasil — Foto: TV TEM/Reprodução

A produção de queijos é tradição na zona rural do município de Itapetininga (SP). Na fazenda Santa Luzia, o rebanho conta com 140 animais, sendo 70 vacas leiteiras, da raça simental. A produção de leite chega a 650 litros em duas ordenhas por dia.

Com tanto leite assim, o produto precisa ser muito bem aproveitado e uma das opções mais rentáveis é a produção de queijos. São 18 tipos diferentes.

Na câmara de maturação subterrânea é onde acontece em torno de 80% da transformação dos queijos. Já na câmara mais fria, que mantém a temperatura entre 12º e 14ºC e com umidade em torno de 90%, é o local que acontece a formação de fungos e bactérias que atuam e transformam o queijo. Um processo que Maristela Nicolellis viu em outros países, como a França, e trouxe para cá.

A maturação é o envelhecimento do queijo e ajuda a definir o sabor, a consistência e o odor de cada um. A consistência pode ser macia, dura, seca, gordurosa e amanteigada, com formatos e cores diferentes. O que define o preço é a quantidade de leite que foi usada e o tempo de maturação. Alguns tipos variam de R$ 35 a R$ 190 o quilo.

Os queijos maturam por tempos diferentes. Existem aqueles que ficam por um mês e outros que permanecem por até cinco meses. Os mofados costumam ser os mais bonitos e de sabor diferenciado.

Em um sítio no município de Boituva (SP), funciona a fábrica de queijos da Martina Sgarbi, junto com o laticínio que fornece o leite para a fabricação. São 700 litros por semana e 2.800 por mês, destinados para a produção de queijos artesanais.

Para produzir os queijos, Martina não deixa de se atualizar. Está sempre realizando cursos, acompanhando novas tendências do mercado queijeiro. Ela diz que sabe a importância de continuar aprendendo para poder competir no mercado.

A fama do queijo brasileiro tem crescido cada vez mais. Para a Associação Brasileira das Indústrias de Queijo, o consumo anual no Brasil é de cinco quilos e meio por habitante. Neste ano, a meta é chegar a sete quilos e meio.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER