O World Cheese Awards aconteceu na primeira semana de novembro e avaliou laticínios de todo o mundo.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Queijos catarinense e mineiro foram os que tiveram melhor performance entre os nacionais: levaram 2 ouro - Foto: Conhecer Minas/Reprodução

Não é de hoje que a produção de laticínios brasileira arranca elogios da comunidade internacional. Dessa vez, queijos catarinenses, mineiros e paulistas foram destaque na 33ª edição do World Cheese Awards, que aconteceu na primeira semana de novembro, na cidade de Oviedo, na Espanha.O Brasil conquistou 14 medalhas, sendo duas de ouro, além das honrarias em prata e bronze. No topo do pódio ficaram o queijo catarinense Vale do Testo, produzido pela empresa Pomerode, e o mineiro Serra das Antas, tipo reblochon. O grande campeão do concurso foi um exemplar espanhol da marca Quesos y Besos.

O sabor dos campeões
O queijo Vale do Testo, produzido com leite de vaca, tem massa semidura. O laticínio passa por seis meses de maturação, período em que suas características aromáticas são potencializadas. Já o Serra das Antas tem textura compacta, semimole e sabor suave. Os 12 outros queijos premiados com medalhas de prata ou bronze são todos confeccionados em São Paulo e Minas Gerais (predominantemente na região da Serra das Antas).

Investimento é decisivo
Segundo Claudia Stehling, analista do Sebrae, reconhecimentos como esse são fruto de produtos de qualidade de iniciativas mais amplas. “Temos atuado junto ao Ministério da Agricultura para a implementação de normativas que contribuam no apoio aos pequenos produtores. Uma dessas medidas refere-se ao selo-arte, que permite o trânsito do queijo e outros produtos de origem animal entre os diferentes estados da Federação”, comenta Cláudia.Ainda de acrdo com Stehling, atualmente a entidade assiste diretamente produtores artesanais de queijo, por meio de projetos e oportunidades de acesso a novos mercados e realiza um trabalho de mapeamento para identificar outros pequenos produtores que poderiam ser beneficiados com a obtenção do selo-arte.

“Além disso, o Sebrae está realizando um inventário para localizar os produtos artesanais típicos e regionais que serão divulgados  por meio de uma plataforma digital que a instituição está desenvolvendo e que vai funcionar como uma vitrine para esses produtos”, complementa Claudia.

Em novembro, o preço do leite registrou nova queda em Minas Gerais.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER