A Leite Brasil divulgou nesta semana o resultado do 23º Ranking das Maiores Empresas de Laticínios do Brasil em 2019.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A Leite Brasil divulgou nesta semana o resultado do 23º Ranking das Maiores Empresas de Laticínios do Brasil em 2019. As 13 empresas que figuraram como maiores do setor no ranking são as mesmas do ano passado e tiveram 4,1% de crescimento no volume agregado de captação de leite, somando 7,9 bilhões de litros (cerca de 21,6 milhões de litros/dia). Este incremento superou o crescimento verificado na captação total do Brasil, divulgado pela Pesquisa trimestral do Leite do IBGE, que foi de 2,3% em relação a 2018.

O volume das 13 maiores empresas do setor representou 31% da captação formal brasileira em 2019. Ao analisar os últimos anos do levantamento, verifica-se uma redução da participação dos grandes laticínios no volume total formal no mercado brasileiro, como mostra o Gráfico 1. Ao mesmo tempo, vale ressaltar a ausência de empresas relevantes para a cadeia no ranking, como a CCPR Itambé (cujas informações passaram a não constar desde o ranking de 2018) e a Lactalis (cujas informações passaram a não constar desde o ranking de 2017).

Gráfico 1. Participação dos 13* maiores laticínios na captação formal de leite.

ranking leite brasil 2019

(*) Para 2009, 2010 e 2011 ranking teve 12 empresas participantes.
Fonte: elaborado com dados da Leite Brasil e do IBGE pela equipe do MilkPoint Mercado. 

A estimativa de capacidade instalada de processamento de leite destas empresas em 2019 foi de 11,2 bilhões de litro/ano — cerca de 30,7 milhões de litros por dia, aumento de 7% em relação a 2018. No entanto, as maiores empresas do ranking de 2019 utilizaram cerca de 70,4% da sua capacidade total, 3,0% abaixo da capacidade utilizada em 2018, que foi de 72,6%.

A produção diária do produtor de leite médio destas empresas cresceu 8% em comparação a 2018, fechando em 446 litros/dia, contra 413 litros diários do levantamento do ano anterior. Como mostra o gráfico 2, nos últimos 10 anos, há um crescimento de 96% na produtividade (crescimento de quase 7% ao ano no período), fato que se deve a diversos fatores concomitantes, como as bonificações por volume utilizadas por boa parte dos laticínios, a tecnificação das fazendas e as economias de escala na produção de leite. Vale ressaltar que em 2019 houve uma redução de 7,1% no número de fornecedores de leite, mostrando, como em 2018, uma preferência das empresas por produtores mais eficientes e com maior volume de produção.

Gráfico 2. Evolução do volume médio (litros/dia) dos produtores das empresas participantes do ranking da Leite Brasil.

ranking leite brasil 2019
Fonte dos dados: Leite Brasil. 

Nestlé, empresa ainda líder no ranking de captação em 2019, foi na contramão da média geral e reduziu seu volume de compra (fato também em observado em 2018) em 8,3% no ano. Assim como no ano anterior, Laticínios Bela Vista (Piracanjuba) e UNIUM (Intercooperação de Lácteos das Cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, todas no Paraná) ocuparam o segundo e terceiro lugar em captação em 2019, com 1,458 bilhão de litros (crescimento de 5,1%) e 1,252 bilhão de litros (crescimento de 9,5%), respectivamente.

Gráfico 3. Volume captado nas 13 maiores empresas de laticínios segundo o ranking Leite Brasil em 2018 e 2019 (milhões de litros processados).

ranking leite brasil 2019
Fonte: Leite Brasil

Apesar da redução do volume captado, a Nestlé contou com um aumento de 22,6% no volume médio de seus produtores, que passaram a produzir, em média, 1.019 litros/produtor/dia. Este aumento aconteceu ao mesmo tempo em que a empresa reduziu seu número de produtores em 30,2%, em relação a 2018 –  o que coincide com a redução da operação da empresa no sul do país. No mesmo sentido, a cooperativa gaúcha CCGL, que reduziu em 13% o número de produtores, aumentou de 20,4% no volume médio por produtor.

O Laticínios Bela Vista, segundo colocado em volume de captação, é o primeiro no ranking de número de fornecedores de leite, com 8.349 produtores e aumento de 4% frente a 2018. O laticínio, porém, figura entre os últimos no quesito produtividade média, com 365 litros/produtor/dia, 3,6% inferior a 2018. A Tabela 1 contabiliza as empresas do ranking por número de produtores.

Tabela 1. Ranking dos 13 maiores laticínios por número de produtores e volume médio em 2019.

ranking leite brasil 2019
Fonte: Leite Brasil

De forma geral, as empresas vêm reduzindo seu número de fornecedores diretos e aumentando o volume por produtor. No entanto, chama a atenção o crescimento de produtores da Vigor (20% em relação a 2018, com queda de 12% no volume médio por produtor) e da Danone.

Ao mesmo tempo, cresceu a participação do volume de leite de “Terceiros” na compra total deste grupo de empresas. Em 2018, este leite representou 28% do volume processado pelas 13 maiores empresas do país e, em 2019, este número cresceu para 31%.Via de regra, este leite de “Terceiros” é o leite spot, negociado quinzenalmente entre empresas.

Na tabela 2 é possível conferir todas as informações do ranking consolidado para os 13 maiores laticínios do país em 2019.

Tabela 2. Ranking consolidado com as informações acima citadas sobre os 13 maiores laticínios do Brasil 2019.

ranking leite brasil 2019

Acesse a planilha com todos os dados aqui.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER