Tendência é que falte matéria-prima com possível desistência da atividade leiteira
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
produtores
Imagem: Divulgação

Tendência é que falte matéria-prima com possível desistência da atividade leiteira


0
Compartilhe no Facebook
Tweet no Twitter
Compartilhar via WhatsApp
Rogério Heemann (Foto: Arquivo Rádio do Vale)

Duas quedas consecutivas no preço do leite pago ao produtor faz com que o agricultor pague para se manter na atividade. No mês de julho, o valor chegou a R$ 3,40 pelo litro do produto, mesmo que nos mercados o preço de uma caixinha longa vida superava R$ 9,00.

Segundo dados e projeções do Conseleite do Rio Grande do Sul, agosto apresentou redução de 21% no valor pago ao produtor e setembro terá nova queda na faixa de 12%.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Estrela, Rogério Heemann, concedeu entrevista ao Programa Realidade da Rádio do Vale e informou que o agricultor deverá receber neste mês R$ 2,27 pelo litro do leite. O custo de produção chega a R$ 2,20. Desta forma, sobraria apenas R$ 0,07 por litro para todas as outras despesas da propriedade, o que tornaria inviável a atividade.

Outro fator prejudicial é a compra de leite em pó do Uruguai e da Argentina. Entidades ligadas ao setor devem se mobilizar nos próximos dias para exigir a proibição da importação por parte das empresas.

Rogério Heemann ainda projetou a falta de leite no mercado nos próximos meses devido à provável desistência dos produtores da atividade. GL

Em um momento em que as exportações de lácteos dos EUA estão aumentando, acaba de ser anunciado que a Cúpula Mundial dos Laticínios (World Dairy Summit) será realizada em Chicago, de 16 a 19 de outubro de 2023.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER