Segundo o comentarista, o setor não tem condições de competir com o países da Europa e a Nova Zelândia, por conta dos custos de produção
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Segundo o comentarista, o setor não tem condições de competir com o países da Europa e a Nova Zelândia, por conta dos custos de produção

A tentativa de reduzir a Tarifa Externa Comum (TEC) do Mercosul, que vale para importação de produtos de países que não fazem parte do bloco, pode ser a “pá de cal que faltava para enterrar o setor de leite do Brasil”. O alerta é do comentarista Miguel Daoud.

Daoud afirma que desde o início do governo de Jair Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, queria acabar com o Mercosul. Mas, segundo o comentarista, o ministro não está levando em consideração que essa ideia pode respingar em setores brasileiros que não têm condições de competir com outros países, como é o caso da pecuária leiteira. “Não teremos condição de fazer frente a países da Europa, à Nova Zelândia”, elenca.

O comentarista afirma que a postura de Paulo Guedes evidencia uma incapacidade de controlar a inflação. Ele ainda rebate o argumento de que seja uma política liberal boa para o Brasil. “Teremos um país aberto para quê? Para se tornar colônia do mundo?”.

Para ele, se a medida for avançar com apoio do Brasil, o governo deve pedir que alguns setores tenham tratamento diferenciado.

O preço do leite captado em junho e pago aos produtores em julho avançou 19,1%, chegando a R$ 3,19 por litro.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER