Durante o encontro foram distribuídos kits de boas práticas.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Produção de queijo serrano na Fazenda Morro Grande chega a 300 kg/mês - Foto: Evandro Oliveira/Divulgação SEAPDR

Os 82 kits de Boas Práticas de Agropecuária (BPA) e Boas Práticas de Fabricação (BPF) foram entregues pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR) para 50 queijarias e 32 técnicos, nesta quarta-feira (27), durante reunião técnica do queijo artesanal serrano em São José dos Ausentes. Participaram do encontro, além de técnicos e produtores, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), secretários municipais de Agricultura, associações de prefeitos e Emater/RS-Ascar. A secretária da Agricultura, Silvana Covatti, também esteve presente.

“Nós temos que buscar a qualidade do nosso produto para disputar mercado tanto no Brasil quanto no exterior. A fabricação do queijo serrano é uma prática bicentenária, merece a atenção da Secretaria da Agricultura e terá todo nosso apoio para o crescimento e desenvolvimento dos produtores e da região”, disse Silvana Covatti.

Kit de Boas Práticas entregue ao produtor Luan Guimarães, da Fazenda Morro Grande
Kit de Boas Práticas entregue ao produtor Luan Guimarães, da Fazenda Morro Grande – Foto: Evandro Oliveira/Divulgação SEAPDR

“Nós trabalhamos diretamente na indicação geográfica do queijo artesanal serrano anunciado em 2020, no Selo Arte, e agora com o Sisbi-POA, para criar toda a estrutura para manter a qualidade do produto e dar segurança sanitária aos consumidores e segurança econômica aos produtores”, destaca a superintendente do Mapa no Rio Grande do Sul, Helena Rugeri.

Os kits distribuídos fazem parte das metas de um convênio firmado entre o Ministério e a Secretaria da Agricultura, que busca promover a melhoria da qualidade do queijo artesanal serrano produzido na região dos Campos de Cima da Serra. O investimento neste projeto é de R$ 786 mil.

Após a reunião, ocorreu uma visita à fazenda Morro Grande. O produtor Luan Susin Guimarães, de 31 anos, está nesta atividade desde 2016. Ele produz cerca de 10 quilos de queijo por dia, vendendo no próprio município. “É uma fonte de renda e garante o sustento de minha família”, destaca ele.

O queijo serrano é um produto típico e exclusivo da região dos Campos de Cima da Serra (RS) e do Planalto Sul-Catarinense. É produzido de forma artesanal há mais de 200 anos, por meio da adaptação de uma receita de origem portuguesa, sendo transmitido de geração a geração.

José Cardoso, primeiro produtor gaúcho a receber o Selo Arte pelo queijo artesanal serrano
José Cardoso, primeiro produtor gaúcho a receber o Selo Arte pelo queijo artesanal serrano – Foto: Evandro Oliveira/Divulgação SEAPDR

No Rio Grande do Sul, os municípios que produzem queijo serrano e participam do convênio com o Mapa são: Bom Jesus, Cambará do Sul, Caxias, Jaquirana, Muitos Capões, São Francisco de Paula e São José dos Ausentes.

O que são os kits

O kit de Boas Práticas Agropecuárias contém botas de borracha, caneca de fundo escuro, jaleco brim, raquete de CMT, solução de teste veterinário e termômetro.

Já o kit de Boas Práticas de Fabricação tem botas brancas, termômetro digital, jaleco branco, calça branca, toucas descartáveis, termo higrômetro, luvas descartáveis e kit cloro.

 

 

O Papel do Lácteo na Formação e Manutenção da Estrutura Muscular.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

newsletter

ASSINE NOSSO NEWSLETTER