Será que o sal mineral oferecido para a pecuária de leite é diferente do gado de corte? Nesta dica, vamos entender como o sal mineral para bovinos de leite potencializa os resultados.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Será que o sal mineral oferecido para a pecuária de leite é diferente do gado de corte? Nesta dica, vamos entender como o sal mineral para bovinos de leite potencializa os resultados.

Afinal, toda a produção que envolve bovinos precisa de uma força extra. Quando o produto tem custo-benefício e fácil manejo, por que não utilizá-lo?

Se está começando agora a produzir leite, essa dica será uma boa oportunidade de aprendizado.

A produção de leite no sentido de quantidade e qualidade depende de diversos fatores. Manejo, alimentação, sombra, bem-estar animal. Além disso, temos o controle de doenças por meio das vacinas.

A higiene é outro processo que não pode ficar de fora. A mastite é uma enfermidade que causa grande impacto na produção. Sem falar no sofrimento do animal que desenvolve a inflamação.

E inserir suplementos e aditivos faz parte para uma alta rentabilidade.

Primeiro, vamos entender o que é o sal mineral.  É uma mistura de minerais essenciais para o gado com o sal comum. Por isso, o nome. Pela mistura de ingredientes que envolve sal + minerais.

 

Mas qual tipo de sal mineral devo oferecer? 

 

Os bovinos precisam de minerais. Isso é fato. Agora, e quando se trata de sal mineral para bovinos de leite?

A composição varia de acordo com a necessidade de cada local. E mais ainda, de cada propriedade.

Você já fez uma análise de solo para checar qual o seu solo. O resultado trará o que ele tem de melhor. E mais importante ainda, quais são as deficiências dele.

Então, é por ali que o seu sal mineral será baseado.

No momento da aquisição, foque nos ingredientes.

Fósforo e cálcio são mais que obrigatórios. E não apenas para a produção leiteira. Mas para a formação dos bezerros na fase de gestação.

Quando e como oferecer? 

 

O oferecimento deve ser em torno de 90 gramas por dia. Isso para bovinos adultos, que pesam em torno de 450 kg.

Sobre o período, muitos produtores focam apenas na seca. Sabemos que realmente é um período difícil, principalmente para os sistemas baseados à pasto. A falta de forragem devido a ausência de chuvas impacta muito a alimentação e até o peso dos animais.

Uma experiência que queremos te propor é oferecer o sal mineral para bovinos de leite o ano todo. Topa? Não será desperdício.

Dessa forma, o gado chegará com o organismo e nutrição reforçados. E não precisará de um esforço extra para recuperar ou até mesmo manter o peso.

Além do sal mineral, existem também o sal proteinado, a ureia, virginiamicina e monsensina sódica.

Todos esses suplementos e aditivos fazem parte da pecuária e demonstram resultados positivos com o uso.

Inclusive, o sal proteinado pode ser preparado na propriedade: Como fazer sal proteinado para o gado: a receita.

 

 

Não esqueça da alimentação adequada 

 

Mais que oferecer suplementos e aditivos no cocho, a alimentação em si precisa ser a melhor possível.

Pare e analise se a ração oferecida aos seus animais está afetando a produção.

É importante ter ingredientes de qualidade. E mais que alimentar, nutrir.

Caso não saiba por onde começar, fique tranquilo. Confira a receita para gado de leite no link: Ração para gado de leite: aprenda como fazer.

Com essa orientação, é possível fazer a ração na propriedade mesmo. Assim, há possibilidade de redução de custo.

E durante a gestação, a alimentação também precisa ser o foco. Já que a reprodução é a base da pecuária leiteira, não deixe de conferir: Ração para vaca de cria.

 

Foque na água 

 

Não esqueça da água, amigo produtor. Bovinos de leite precisam ter um consumo adequado. A base do leite é água e não tem como ser produzido sem essa matéria prima.

Oferecer água limpa e locais acessíveis é necessário.

Para se ter uma ideia da quantidade adequada, confira:

  • Vaca em Lactação – consumo de 64 litros por dia, aproximadamente;
  • Para Vaca e Novilha no final da gestação  – consumo entre 51 litros por dia, aproximadamente;
  • Vaca Seca e Novilha gestante – consumo entre 45 litros por dia, aproximadamente;
  • Bezerro Lactante (a pasto) – consumo entre 12 litros por dia, aproximadamente.

É uma quantidade considerável por dia, não é mesmo?

Então, mantenha sempre seus bebedouros bem abastecidos. E nem precisamos comentar sobre a limpeza.

 

Higiene e mastite 

 

Já que citamos essa doença no começo do texto, não podemos passar em vão.

Infelizmente, é uma realidade e que atinge uma considerável parte do gado leiteiro.

Além da vaca passar por todo o processo de tratamento, com medicamentos, é afastada da produção.

Ou seja, um prejuízo em termos de saúde e também econômico.

O melhor a se fazer é prevenir. As ações são bem simples e não demandam custos. E envolve uma rotina de higiene.

A mastite é uma inflamação que atinge o úbere da vaca. Como é transmitida por bactérias, manter os utensílios da ordenha e local esterilizados é o mais indicado a se fazer.

O passo a passo, você encontra na dica: Higiene na ordenha de vacas: antes, durante e depois.

 

A inflação de dois dígitos não livrou nem o leite das crianças que, dependendo do tipo, passa de R$ 10 nos supermercados do Rio.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER