Em janeiro, o governador Carlos Moisés sancionou a Lei nº 18.340, que institui um programa para oferecer internet com qualidade no campo e também autoriza as concessionárias ou permissionárias de distribuição de energia elétrica a compartilharem suas estruturas, sem custos, para a passagem de cabos do serviço de telecomunicação nas áreas rurais.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Divulgação/SAR

Em uma iniciativa pioneira, o Governo de Santa Catarina irá reforçar os investimentos e ampliar as ações para levar internet de qualidade ao meio rural. A intenção é destinar R$ 100 milhões para melhorar a conectividade no campo nos próximos dois anos, cobrindo boa parte dos municípios com estrutura de fibra ótica. O projeto foi apresentado pelo secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Altair Silva, no Fórum de Cidades Digitais e Inteligentes da Serra Catarinense, que ocorreu em Lages na última quinta-feira (10).

“Este é um programa que irá transformar a agricultura catarinense e atende a uma demanda antiga das famílias rurais. Temos um agronegócio pujante, moderno e que utiliza tecnologia de ponta, num ciclo de modernização constante. A internet é fundamental para aumentar a competitividade do nosso agro, sem contar os impactos na educação, qualidade de vida e oportunidades para os jovens agricultores. Será um novo momento para o setor produtivo catarinense”, destaca Silva.

O primeiro passo para ampliar a cobertura de internet no meio rural catarinense já foi dado. Em janeiro, o governador Carlos Moisés sancionou a Lei nº 18.340, que institui um programa para melhorar a conectividade no campo e também autoriza as concessionárias ou permissionárias de distribuição de energia elétrica a compartilharem suas estruturas, sem custos, para a passagem de cabos do serviço de telecomunicação nas áreas rurais. Este era o principal obstáculo à instalação de internet de fibra ótica no meio rural.

A partir de agora, as empresas de telecomunicações não terão que pagar tarifas ou taxas para a utilização desses postes. Em contrapartida, as concessionárias de distribuição de energia elétrica poderão utilizar os serviços de internet gratuitamente. “O aluguel dos postes era um dos maiores impeditivos para a instalação de fibra ótica no Interior. Vamos facilitar esse processo, para agilizar os investimentos e resolver de vez esse problema. Esse é um dos projetos prioritários para o desenvolvimento da agropecuária catarinense”, explica Silva.

Os cabos de internet passarão nas principais estradas rurais de Santa Catarina e os recursos previstos no projeto devem ser utilizados para viabilizar a instalação dos serviços de telecomunicação nos municípios. A Secretaria da Agricultura dará o suporte para que os produtores consigam fazer a conexão com suas propriedades.

Apoio ao produtor

Após a instalação da estrutura de fibra ótica nas estradas rurais, os agricultores contarão com o apoio da Secretaria para fazer a conexão com suas propriedades.

O Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR) possui uma linha de crédito especial para que os agricultores conectem suas propriedades à infraestrutura de fibra ótica do município. Os produtores poderão acessar até R$ 20 mil, com cinco anos de prazo para pagar e sem juros.

Encontro acontece esta sexta-feira e conta com a presença do secretário de Estado da Agricultura, Rui Martinho.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER