O evento reuniu os participantes do Programa de ATeG da região.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), promoveu no último fim de semana, com a parceria do Sindicato Rural de Catanduvas, da Cootan e da Pioneer, o Dia de Campo na área de bovinocultura de leite. O evento, realizado na propriedade do produtor rural Rafael Marchetti em Jaborá, meio oeste, reuniu os participantes do Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) da região.

A programação contemplou discussão sobre a escolha de variedades de híbrido de milho, manejo de ensilagem e qualidade de silagem. O evento foi conduzido pelo supervisor regional do meio oeste Jeam Palavro, pelo supervisor técnico Fernando da Silveira e pela técnica de campo Daniela Bessani com o apoio dos técnicos da Cootan e da Pioneer.

O supervisor Jeam Palavro avalia que, com a crescente elevação dos custos de produção na atividade leiteira, o produtor precisa produzir ainda mais silagem para garantir alimento estocado em quantidade e qualidade, pois para cada 1 kg de matéria seca de silagem de milho, é possível produzir de 1,3 a 1,7 litros de leite. “A nutrição é o setor que mais impacta nos custos de produção de leite, assim produzir alimento na propriedade e armazenar significa não estar refém das oscilações do mercado, garantindo sustentabilidade econômica para o negócio”.

ATEG BOVINOCULTURA DE LEITE

O Programa ATeG do Senar conta com uma metodologia própria e inovadora, que foca na disseminação de novas tecnologias e formas de manejo que possibilitam ao produtor obter maior conhecimento sobre a sua atividade, permitindo o desenvolvimento do seu negócio. “Além de trabalhar técnicas de manejo da produção, o programa oportuniza o acompanhamento gerencial das propriedades rurais, controlando custos e medindo os resultados econômicos das atividades”, explica a coordenadora da ATeG em SC, Paula Coimbra Nunes.

A ATeG com foco para a bovinocultura de leite em Santa Catarina iniciou 2022 com 71 grupos que reúnem 1.900 produtores em todas as regiões do Estado. O superintendente do Senar/SC, Gilmar Zanluchi, salientou que os resultados reforçam a sua importância para o fortalecimento da pecuária leiteira em Santa Catarina. “Desde que foi implementado em Santa Catarina são visíveis os resultados na gestão, na genética do rebanho e na produtividade, confirmando que todos os investimentos e esforços do Senar/SC estão valendo a pena”.

O presidente do sistema Faesc/Senar-SC, José Zeferino Pedrozo, também assinalou que o programa, tanto no segmento de bovinocultura de leite, quanto nas demais áreas que atende, representa um avanço na capacitação dos produtores rurais, preparando-os para a condução das atividades com visão empresarial e avançadas técnicas de gestão e controle.  “Costumo dizer e reforço que muito mais do que quantidade, destacam-se os resultados com altos índices de produtividade e uma gestão inovadora”, finaliza.

A preocupação com a falta de leite em pó nos Estados Unidos está crescendo e começa a ter sérias conseqüências, incluindo a hospitalização de quatro

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER