Alguns alimentos têm designações especiais diferentes devido às suas características.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
CHEESE. FOTO: EUROPA PRESS

A Espanha tem uma inumerável lista de alimentos notáveis dentro do país. As salsichas, por exemplo, são um dos alimentos mais populares tanto para espanhóis quanto para estrangeiros que apreciam o sabor único e inconfundível de muitos deles.

A cozinha espanhola, além disso, tem uma tradição invejável. Muitos dos territórios espanhóis têm vários pratos com história por trás, que foram passados de geração em geração até hoje. Algumas regiões têm até mesmo alimentos que são produzidos apenas naquela área e que alguns turistas tentam experimentar em algum momento.

Neste sentido, na Espanha temos alguns exemplos de alimentos que, apesar de não estarem diretamente relacionados com nosso país, têm distinções únicas. Assim, o queijo, normalmente ligado à França graças a sua grande tradição, também tem grandes exemplos espanhóis cujas características o tornam único para a União Européia.

Apesar disso, a Espanha tem atualmente 26 seis Denominações de Origem Protegidas no total de alimentos, a terceira maior da União à frente de países como a Grécia e a Alemanha. Mesmo assim, esta medalha de bronze ainda está longe de ser capaz de aspirar aos dois primeiros lugares ocupados pela Itália e França com 53 e 49 designações respectivamente.

Voltando ao campo do queijo, existem mais de 250 tipos de queijo protegidos em toda a União Européia, alguns dos quais são mesmo reconhecidos em todo o mundo. Em termos de produção, a Alemanha liderou o setor em 2020 com mais de 2 milhões de toneladas, enquanto a França ficou em segundo lugar com cerca de 1,9 milhões de toneladas.

Os seis queijos espanhóis protegidos
Em vista desta produção maciça, da qual a Espanha não faz parte, é ainda mais claro que as seis denominações especiais de queijo em nosso país representam uma figura enorme. Por esta razão, agora damos uma olhada no que eles são e por que são reconhecidos:

– Arzúa-Ulloa (Galiza): este queijo feito com leite de vacas louras galegas, frísias, castanhas-alpinas e cruzadas tem uma longa tradição na Galiza. Seu nome vem da área galega onde é feito, e tem até mesmo um festival desde 1975.

– Cabrales (Astúrias): com uma coloração azul muito característica, este tipo de queijo é fabricado a partir de diferentes tipos de leite curado em cavernas naturais dos Picos de Europa.

– Idiazábal (País Basco): sem sair do norte da Espanha, encontramos outro queijo protegido em nosso país. Para ser chamado Idiazábal, o queijo deve ser feito inteiramente de leite de ovelha cru das raças Lata e Carranzana, algo que até o catapultou para o título de “Melhor Queijo de Ovelha Europeu” em 1995.

– Torta del Casar (Cáceres): A Extremadura também é reconhecida neste setor, especificamente na Serra de San Pedro. Esta área produz um queijo cuja história remonta ao século XIII graças à transumância e que atualmente é produzido com ovelhas.

– Manchego (Castilla-La Mancha): este queijo feito com leite de ovelha Manchego é um dos queijos mais famosos da Espanha e do resto do mundo. Além disso, geralmente é uma excelente companhia para os vinhos da região, criando uma simbiose única graças a seu sabor.

– Mahón-Menorca (Ilhas Baleares): Finalmente, saindo do continente, encontramos este queijo na ilha de Menorca. Produzido com coalhada de leite de vaca a baixa temperatura e ainda utilizando técnicas tradicionais, é um dos pilares gastronômicos da região.

 

Traduzido com DeepL

A quarta edição da Newsletter do Observatório do Consumidor traz uma análise do perfil de tweets sobre lácteos no primeiro semestre de 2022.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER