Manejo nutricional vem sendo usado.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
leite
Nutrição está diretamente relacionada à produção de leite, seja no volume e/ou na composição dos chamados sólidos | Crédito: Divulgação

Pesquisadoras da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) têm proposto práticas que alteram a composição do leite por meio de aprimoramento na alimentação de bovinos, auxiliando produtores a atingirem melhores níveis de proteínas, gorduras, carboidratos, vitaminas e sais minerais – os chamados sólidos do leite – e ampliarem os lucros de suas atividades.

Cada vez mais, produtores de leite têm se preocupado com a qualidade do leite produzido e, por consequência, com o aumento dos níveis dos sólidos totais, prática que tem sido estimulada pela indústria de lácteos com bonificações financeiras. Tais componentes, sobretudo proteínas e gorduras, possuem relevância na qualidade do leite para consumo e formam a base do setor, pois é a partir deles que se obtêm produtos como iogurte, queijo, requeijão e manteiga.

Segundo estudo publicado pelas pesquisadoras Cristiane Viana e Karina Toledo, o teor de sólidos no leite sofre variação de acordo com a genética, saúde, boas práticas de ordenha e manejo nutricional de vacas em lactação. Dentre tais fatores, elas destacam o manejo nutricional dos animais como uma das estratégias mais eficazes. A nutrição está diretamente relacionada à produção de leite, seja no volume e/ou na composição de sólidos. Uma vaca saudável e bem alimentada, tendo todas as exigências de nutrientes supridas com a alimentação, mantida em um ambiente que proporcione conforto e bem-estar, terá condições de expressar o seu potencial máximo de produção de leite e, consequentemente, terá maiores teores de sólidos.

Nesse sentido, é ideal garantir um suprimento adequado de proteínas, energia, fibras, minerais e vitaminas aos animais, por meio de uma formulação adequada da dieta a partir do volumoso que o produtor tiver disponível, seja ele pastagem, silagem ou feno. “É importante procurar o auxílio de um profissional, que irá calcular a quantidade apropriada de ingredientes da dieta para atender às exigências dos animais”, salienta Karina.

As principais recomendações das pesquisadoras são a otimização da fermentação ruminal das vacas e o uso de alimentos volumosos com fibras de alta qualidade. Produtores devem focar dietas ricas em energia e proteínas para seus animais, pois são componentes essenciais para a síntese da proteína do leite.

“Outra possibilidade de aumento de proteína para a glândula mamária é a inclusão de aminoácidos protegidos na dieta, favorecendo um aumento da proteína microbiana e consequentemente aumento do aporte de proteína para a produção de leite”, complementa Karina Toledo. Além do manejo alimentar e formulação da dieta, outros fatores que afetam a produção de proteína são o melhoramento genético, o estágio da lactação e o conforto ambiental, apesar de as possibilidades de alteração serem mais limitadas.

Gordura

Já a gordura é o componente com maior potencial de alteração por meio da nutrição. “A redução no teor de gordura do leite está relacionada a alterações no metabolismo de ácidos graxos, causadas, por exemplo, pela ingestão de dietas com altas quantidades de amido ou óleos. Mas quando é fornecida uma dieta com alimentos volumosos, fibras de qualidade e matéria seca regular, tem-se um favorecimento na produção de ácidos graxos voláteis no rúmen do animal, o que favorece o aumento do teor de gordura no leite”, explica Cristiane Viana.

Para as pesquisadoras, outra estratégia importante para elevar o teor de gordura no leite é o aumento na frequência de alimentação dos bovinos, por ser uma prática que evita flutuações do pH ruminal e favorece a manutenção dos microrganismos produtores de ácido acético no rúmen, o qual ajuda na formação da gordura no úbere das vacas. No caso de animais confinados, a indicação é que o cocho esteja com alimento o dia todo.

“A efetivação dos programas de melhoria na qualidade do leite é vantajosa para o produtor, que terá mais rendimento e receberá uma bonificação, para a indústria, que irá produzir produtos com menor custo e maior prazo de validade, e para o consumidor, que poderá ter produtos de qualidade e que não ofereçam riscos à sua saúde”, conclui a pesquisadora. (Emater)

Boletim de Preços
Informe com análise e acompanhamento das variações de preços de indicadores de interesse da cadeia do leite.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER