Os pequenos e médios produtores de leite do interior do estado de Rondônia estão recorrendo às redes sociais e à mídia em geral, buscando apoio governamental com deputados estaduais
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Os pequenos e médios produtores de leite do interior do estado de Rondônia estão recorrendo às redes sociais e à mídia em geral, buscando apoio governamental com deputados estaduais, prefeitos, e chamando atenção para o preço pago pelo litro de leite pelas empresas laticinistas.

Na mobilização denominada SOS LEITE – Balde Cheio, Bolso Vazio, as lideranças regionais que organizam os protestos, afirmam que os criadores de gado de leite em Rondônia estão pagando para entregar o produto as indústrias e não têm garantia de preço fixo no final do mês, condição que está causando a inviabilidade e a redução da atividade leiteira no campo. A primeira manifestação está prevista para acontecer na próxima quinta-feira (25), em Jaru.
Os produtores estão organizando manifestações por meio de vários grupos de WhatsApp e pelas redes sociais,  propondo a paralisação de até 80% na produção.
Um dos líderes do movimento, que é produtor de leite na região de Ouro Preto do Oeste, afirmou que outra demanda dos produtores de leite é pela igualdade no pagamento do litro de leite, e a obrigatoriedade para que os fornecedores saibam com antecedência quanto vai receber no mês pelo litro de leite entregue no laticínio.
“Hoje a grande realidade é essa: o laticínio paga o preço que ele quer. Mês passado, veio em torno de noventa e oito centavos por litro do meu laticínio enquanto próximo da minha casa, a quase 20 quilômetros, outro laticínio pagou a um real e vinte centavos, que descontando o Funrural sai a um real e dezoito mais ou menos”, reclamou.

Em um vídeo, gravado ao lado do deputado estadual Lazinho da Fetagro, de Jaru, que apoia o movimento, o produtor Marcelo Trento, de Campo Novo de Rondônia, afirma que as empresas de laticínios recebem do governo subsídio de 85% do ICMS.

O deputado Laerte Gomes (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALE/RO), tomou conhecimento da situação em visitas ao interior do estado, e anunciou na última sexta-feira (12) que o Poder Legislativo estadual vai auxiliar os pequenos e médios produtores nessa demanda porque a situação está chegando ao limite, e há criadores de gado de leite desanimando da atividade por não ter um teto mínimo garantido do valor a ser recebido pelo litro de leite entregue à indústria.
Laerte Gomes anunciou ainda que ele, juntamente com um grupo de deputados acompanhados de técnicos do Sebrae viajará nos próximos dias para alguns estados onde funcionam cooperativas que administram indústria de laticínios. “Vamos buscar atrair esses modelos de cooperativas bem-sucedidas pra Rondônia e criar mecanismos para os produtores de leite se organizarem”, afirmou o deputado.

Se temos que falar sobre os dois iogurtes clássicos por excelência, devemos falar sobre o iogurte natural e o iogurte grego, em suas versões integral e desnatado.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER