As pequenas e médias indústrias de laticínios do Rio Grande do Sul trabalharam com superação neste ano de 2020 em que o mundo enfrentou a pandemia de Covid-19. As normas sanitárias exigidas para evitar o contágio da doença mudaram a rotina dentro das plantas industriais da cadeia láctea.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

           As pequenas e médias indústrias de laticínios do Rio Grande do Sul trabalharam com superação neste ano de 2020 em que o mundo enfrentou a pandemia de Covid-19. As normas sanitárias exigidas para evitar o contágio da doença mudaram a rotina dentro das plantas industriais da cadeia láctea. Porém, após o primeiro impacto com todas as mudanças advindas do distanciamento social, o setor aprendeu a conviver com a situação e ir em busca de soluções.

O presidente da Associação das Pequenas e Médias Indústrias de Laticínios do Estado (Apil), Délcio Giacomini, afirma que foram impostos muitos desafios, mas o trabalho desenvolvido de forma inteligente, utilizando a tecnologia a seu favor, ajudou o setor a administrar os impasses e dificuldades. “Enfrentamentos questões de mercado com a mudança no hábito dos consumidores nos adaptando e nos reiventando”, salienta.

Conforme Giacomini, a Apil por meio de sua direção, associados e colaboradores, trabalhou intensamente com o objetivo de apoiar o setor. “A distância não nos separou mas, sim, fortaleceu os nossos laços através de reuniões virtuais semanais e mensais para tratar de temas importantes ligados à produção e industrialização do leite e seus derivados”, comenta o dirigente, lembrando também a participação em vários encontros junto a outras entidades do setor e o poder público estadual e federal.

Giacomini ressalta que apesar da estiagem que vem atingindo o Estado desde 2019 e prejudicando a produção, a expectativa para 2021 é de uma melhora no cenário, inclusive com a possibilidade da chegada de uma vacina contra a Covid-19 já no primeiro trimestre do ano. “Cada laticínio tem a sua região de abrangência, por isso, além das políticas públicas do Estado e da Federação, também são muito importantes as ações dos executivos municipais. Para 2021 temos muitos projetos a desenvolver e para que todos nós tenhamos sucesso é necessária a união de toda a sociedade. Este é um dos aprendizados que esta pandemia nos deixou”, conclui Giacomini.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER