A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) tem alertado sobre os altos custos na produção de leite. De fato, essa é uma preocupação atual no setor: segundo dados divulgados recentemente pelo Centro de Inteligência do Leite (CILeite) da Embrapa
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) tem alertado sobre os altos custos na produção de leite. De fato, essa é uma preocupação atual no setor: segundo dados divulgados recentemente pelo Centro de Inteligência do Leite (CILeite) da Embrapa, o Índice de Custos de Produção de Leite (ICPLeite) subiu 0,26% no mês de julho. No acumulado do ano, o indicador teve alta de 16,32% e de 38,53% nos últimos 12 meses.

Com um cenário tão incerto na economia brasileira, é possível que a produção de leite não cresça ou cresça menos do que o previsto em análises anteriores. Cito dois motivos principais para esse resultado: o poder de compra reduzido pela recessão econômica pode frear o movimento de preços dos lácteos, combinado a um cenário de custos de matérias primas muito altos, afugentando produtores menos “tecnificados” (que vão ter custo alto para “colocar” mais leite nas vacas e não serão tão bem remunerados). Lembrando que esses produtores são ainda o maior volume da produção brasileira.

Para contornar essa situação, o uso de softwares de gestão é fundamental para acompanhar o dia a dia financeiro das fazendas, o que facilita os registros e controle dos gastos. Este trabalho está sendo desenvolvido com sucesso na Prodap por meio de softwares de gerenciamento, como o Prodap smartmilk, que atua na gestão de rebanhos leiteiros e possibilita a gestão dos índices zootécnicos e financeiros de forma fácil e rápida. Tão importante quanto ter o registro e saber os custos é conseguir analisar as informações para tomada rápida de decisão.

Outro ponto importante a ser destacado é que as últimas geadas que atingiram o país tiveram impacto direto na alta dos preços do milho e consequentemente atingiram fortemente o produtor de leite. Isso porque o milho é a principal fonte energética utilizada para vacas leiteiras e a silagem de milho, o principal volumoso para vacas especializadas.

A alta desse insumo leva a aumentos expressivos nos custos das dietas, fazendo com que muitos produtores optem pela substituição total ou parcial da ração. Vários subprodutos podem ser utilizados, mas é necessário atenção, pois normalmente estes “substitutos” têm preços baseados no milho e também vão estar em alta. É importante salientar que o setor do leite no Brasil é caracterizado pela grande pulverização e uma enorme dificuldade de mobilizar produtores em torno de pautas comuns, até pela grande diferença entre perfis e objetivos.

O que há de concreto é que podemos contribuir, e muito, com a cadeia leiteira. Com a Solução Total Prodap auxiliamos os produtores que desejam melhorar a produção e de fato alcançarem seus objetivos, por meio da nutrição personalizada e adequada às metas e realidades de cada fazenda, aliado ao trabalho de consultoria comprometido com o desenvolvimento e melhoria contínua e das nossas soluções em tecnologia. A nossa busca diária é o sucesso dos negócios dos nossos clientes.

Por fim, um ponto fundamental, na nossa visão, para se ter um setor forte é a profissionalização, pois, no fim das contas, uma fazenda lucrativa e qualificada é o que todo produtor deseja em qualquer período.

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER