Tiago Dimas diz que produtor vende litro de leite mais barato do que água e cobra valorização – eDairyNews Últimas notícias
Brasil |9 septiembre, 2019

Leite | Tiago Dimas diz que produtor vende litro de leite mais barato do que água e cobra valorização

Para o parlamentar, é absurdo o volume de leite e derivados importado pelos Brasil.

O deputado federal Tiago Dimas (SD-TO) saiu em defesa dos produtores de leite do Brasil e do Tocantins pedindo que o Governo Federal ajude a providenciar soluções e apoio para o setor.

Para o parlamentar, é absurdo o volume de leite e derivados importados pelos Brasil, em se considerando o tamanho do rebanho do país (mais de 215 milhões de cabeças de gado). Além disso, ele apontou uma série de outros problemas do setor. “Fico muito entristecido ao ver que o produtor do leite vende o seu produto a um preço menor do que uma garrafa de água”, salientou.

A defesa foi feita em audiência pública na quinta-feira, 5 de setembro, na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços da Câmara dos Deputados.

O congressista é membro da comissão e vem demonstrando preocupação com o setor desde que iniciou o seu mandato. A audiência pública teve como tema ‘Os problemas enfrentados pelos setores da cadeia produtiva do leite’.

O debate contou com as presenças de representantes do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), do Ministério da Economia, do Sindileite-BA (Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite do Estado da Bahia) e da Abraleite (Associação Brasileira dos Produtores de Leite).

Na audiência, Tiago Dimas ressaltou que, só no Tocantins, são 7 mil produtores que conseguem 208 mil litros por dia em geral. A maioria dessas pessoas, conforme o deputado, está passando dificuldades. “Infelizmente, muitos não conseguem nem mais pedir socorro, estão deixando o setor”, disse, ao lembrar que a realidade dos produtores é muito difícil, com um trabalho que se inicia às de madrugada, por volta das 4 horas.

O deputado destacou que o preço pago ao produtor está muito baixo, mesmo agora em período de seca, quando historicamente o valor é melhor. “O produtor gasta em insumos, em ração e não tem o retorno. Tenho informação de Pequizeiro, de um grupo que produz de 10 mil a 13 mil litros por dia, que está com as atividades paralisadas. Quando eles mais precisam, que é exatamente agora, período de seca, houve uma redução”, lamentou o parlamentar.

O deputado afirmou não ser correto o fato de o Brasil importar 29 mil toneladas de queijo e requeijão (produtos à base de leite) por ano, enquanto o volume exportado mal passa de 10% dessa quantidade.

Desde os anos 1970 os produtores de leite reclamam das importações”, frisou Tiago Dimas, ao ressaltar que a derrubada das tarifas antidumping do leite da Nova Zelândia e da União Europeia trouxe mais problemas.

Os outros países do mundo dão pesados subsídios aos seus produtores. Nós precisamos mudar a nossa política”, ressaltou o parlamentar, ao destacar que uma das reivindicações do setor é uma linha de crédito específica para que os produtores possam investir em tecnologia.

No debate, os representantes do Governo Federal mostraram as medidas que a administração está fazendo para o setor e ressaltaram que a derrubada das tarifas antidumping foi uma decisão técnica. Também ficaram abertos ao diálogo para que se possam promover medidas de melhorias.

Tiago Dimas na audiência
Tópicos |
Aviso legal sobre propriedade intelectual em conteúdo digital

Todas as informações contidas nestas páginas que NÃO são de propriedade da eDairy News e NÃO são consideradas "de domínio público" pelos regulamentos legais são marcas registradas de seus respectivos proprietários e reconhecidas por nossa empresa como tal. A publicação no site eDairy News é feita com a finalidade de coletar informações, respeitando as normas contidas na Convenção de Berna para a Proteção das Obras Literárias e Artísticas; na Lei 11.723 e demais normas aplicáveis.

Qualquer reivindicação decorrente das informações contidas no site eDairyNews será submetida à jurisdição dos Tribunais Ordinários do Primeiro Distrito Judicial da Província de Córdoba, República Argentina, com sede na cidade de Córdoba, com exclusão de qualquer outra jurisdição, incluindo a Federal.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Notas relacionadas