Em reunião na tarde desta quarta-feira, 28, com representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), técnicos e extensionistas rurais, o secretário da Agricultura
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Em reunião na tarde desta quarta-feira, 28, com representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), técnicos e extensionistas rurais, o secretário da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro) César Halum disse que o Tocantins segue fielmente as normas das Instruções Normativas 76 e 77/2018, para melhorar cada vez mais, a produção e qualidade do leite tocantinense.

“O Tocantins está seguindo fielmente as normas da legislação. Estamos qualificando cada vez mais nossos produtores, visando a qualidade do produto final que é o leite”, ressaltou.

O secretário da Seagro esclareceu ainda que, o seminário do leite, realizado em  Araguaína, nessa terça-feira, 27, “serviu justamente para que  os produtores e laticínios que manipulam esse produto trabalhem no sentido da melhoria da qualidade e, isso se faz em parceria entre a Seagro, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), que são aqueles que fomentam a produção e fazem a defesa sanitária”, frisou.

Para o auditor fiscal federal agropecuário do Mapa, Warley Efrem Campos, a aplicação efetiva das instruções normativas 76 e 77/2018 já em vigor, vai trazer para a pecuária brasileira um grande salto em termos de qualidade do leite. “Essas instruções normativas vêm consolidando limites, fazendo com que as indústrias lácteas e produtores trabalhem na produção de leite com menor concentração de células somáticas, o que representa uma menor contagem bacteriana, limites aceitos internacionalmente, principalmente na questão do plano de qualificação dentro das normativas”, explicou.

O auditor disse ainda que “é necessário uma grande união entre os órgãos competentes,  empresas e produtores, fazendo com que a capilaridade das empresas cheguem a todos os produtores com assistência técnica personalizada para todo grupo de produtores e, essa capacitação em massa a partir destas normativas existirá grande ganho em termos de qualidade, produtividade e competitividade para os produtores de leite”, disse.

Os preços da indústria caíram 0,85% em outubro frente a setembro, a terceira variação negativa do Índice de Preços ao Produtor (IPP).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER