Falta de conhecimento sobre o que as pessoas com intolerância à lactose podem consumir perpetua uma série de mitos que podem ter impacto em sua nutrição Quais as opções disponíveis no mercado para apoiar uma dieta balanceada?
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
um

16 de agosto de 2022 – A intolerância à lactose não afeta a todos igualmente e a sensibilidade pode variar. Algumas pessoas reconhecem imediatamente que o consumo de laticínios causa problemas gastrointestinais, e rapidamente os eliminam consciente ou inconscientemente.

O pesquisador Kantar realizou um estudo junto com a Mastellone Hnos. sobre o Consumo de laticínios na Argentina, que constatou que 72% dos argentinos acreditam que a afirmação “pessoas intolerantes à lactose não podem consumir produtos lácteos” é verdadeira. Esta figura demonstra que foram estabelecidos mitos na sociedade sobre esta condição alimentar que incentivam a ignorância sobre ela.

Entretanto, os produtos lácteos são a melhor fonte de cálcio, um mineral muito importante para o crescimento ósseo, entre outras funções vitais. É por isso que um profissional de saúde deve ser consultado no caso de qualquer desconforto, para que a educação nutricional possa orientar a escolha dos alimentos.

É importante que a intolerância à lactose não se torne uma barreira para o consumo de quantidades adequadas de produtos lácteos. Saber que existem leites sem lactose (0% de lactose) no mercado é essencial para ajudar a atender às exigências de nutrientes essenciais, como o cálcio. Os leites podem ser rapidamente reconhecidos por sua cor laranja ou pela leitura dos rótulos, para que você possa identificar a composição do produto e escolher aquele que melhor se adapte às suas necessidades.

“As pessoas desenvolvem intolerância à lactose quando seu intestino delgado produz baixas concentrações de lactase. Esta enzima é responsável pela divisão da lactose, o açúcar natural no leite, que é essencial para que seja absorvido e digerido corretamente”, explica Agustina de Momi do Departamento de Informação Nutricional da Mastellone Hnos.

O especialista explica que a intolerância à lactose pode ser devida a várias causas: genética, uma menor expressão de lactose na mucosa intestinal devido ao aparecimento de várias patologias intestinais que afetam a mucosa deste órgão, impedindo a correta absorção da lactase, um episódio agudo de diarréia, causado por uma infecção, pode reduzir temporariamente os níveis de lactase e tornar a lactose temporariamente mais sensível, entre outras.

“Evitar produtos lácteos sem substituí-los corretamente pode levar a uma deficiência de nutrientes, especialmente cálcio e vitamina D, o que aumenta o risco de patologias como a osteoporose”. É por isso que é importante estar ciente das alternativas possíveis”, acrescentou a especialista Agustina de Momi.

Graças aos avanços tecnológicos, que permitem a eliminação da lactose, existem agora no mercado linhas de produtos adequados para pessoas intolerantes e projetados para serem facilmente digeridos. La Serenísima, por exemplo, foi precursora no desenvolvimento deste tipo de produto e o aplicou na produção de seus queijos duros, semiduros e macios, utilizando culturas exclusivas e tempos de maturação que garantem que eles sejam “naturalmente livres de lactose”. Quanto ao leite, existe a “Lactose Zero”, adequada para pessoas com intolerâncias, pois seu açúcar natural é decomposto em dois açúcares simples (glicose e galactose), mantendo todos os benefícios do leite.

É importante divulgar mensagens de educação alimentar nutricional para que as pessoas com intolerâncias também possam atender suas recomendações diárias de nutrientes essenciais. O conselho profissional é a chave para uma dieta saudável e adequada, diz ela.

 

Boletim de Preços
Informe com análise e acompanhamento das variações de preços de indicadores de interesse da cadeia do leite.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER