Para incentivar a silagem a secretaria Municipal de agricultura está oferecendo tratores à comunidade.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Foto: Ney Silva/ Acorda Cidade

O uso de silagem à base da trituração de milho e de palma no distrito de Jaguara está melhorando a produção de leite e deixando os pequenos produtores rurais satisfeitos. O produtor rural, Silvio Cleber Santiago falou ao Acorda Cidade sobre esse novo momento.

Segundo ele, que também é presidente da Associação Portal da Princesa, a entidade conta atualmente com 30 associados produtores de leite e em breve vai abranger também outras formas de produção, como o peixe, o caprino, suíno e ovino.

Foto: Ney Silva/ Acorda Cidade

“No final da década de 70 para 80, aqui produzia 8 mil litros de leite na região. Foi chegando a seca, havia a falta de conhecimento, e a bacia leiteira foi acabando gradativamente. A gente conseguiu trazer cursos preparatórios através do Senac e Senai e com isso a bacia já está retomando o crescimento. Hoje temos aqui uma média de 1.500 litros de leite por dia, mas nossa meta é passar dos 10 mil litros de leite por dia na região”, afirmou Silvio Cleber.

Foto: Ney Silva/ Acorda Cidade

Ele contou que do leite que é produzido está sendo distribuída uma parte para um laticínio de Riachão do Jacuípe e outra parte vai para as pequenas indústrias artesanais. “Nosso leite vai as pequenas indústrias artesanais, que estão trabalhando com o queijo coalho e o requeijão, que se chama queijo manteiga. Tem bom aproveitamento, e é vendido também em Feira de Santana, vai para São Paulo e Salvador.”

José Martins dos Santos, conhecido como Zé Pequeno, da comunidade de Sete Portas, também está investindo na silagem com a palma.

Foto: Ney Silva/ Acorda Cidade

“Isso aqui ajuda muito, vai entrar o verão, e eu tenho umas 15 vacas, e essa silagem compensa. Quando chove, eu vou reservar o pasto e dou a silagem com a palma. Isso gera emprego. E estou fazendo projetos de fazer mais”, informou.

A geração de emprego e renda está beneficiando jovens, como o estudante Leonardo Pereira da Silva.

Foto: Ney Silva/ Acorda Cidade

“Eu estudo de manhã e trabalho à tarde, e isso ajuda a minha renda. Eu estava sem nenhuma renda e agora recebo 50 reais a diária. Tem muita gente parado nesse período de pandemia, e o trabalho da silagem gera uma renda boa pra o pessoal”, explicou.

Para incentivar a silagem a secretaria Municipal de agricultura está oferecendo tratores à comunidade. Além disso, algumas comunidades estão sendo beneficiadas com a aração de terras.

Fotos: Ney Silva/ Acorda Cidade
Fotos: Ney Silva/ Acorda Cidade

 

Deputado federal goiano conseguiu aprovar proposta que tramitava desde o início de 2019 em defesa de um mercado equilibrado na indústria láctea.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER