Se realizó un estudio alimentando a las vacas con cáñamo para ver si los compuestos de la planta se detectaban en su leche y así lograr leche alucinógena.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
leche alucinógena
Você sabia que existem vacas que produzem leite alucinógeno?

Quando pensamos nas vacas, pensamos imediatamente no leite delas. E geralmente, para a maioria das pessoas, estes animais produzem apenas um tipo de leite. No entanto, a realidade não é bem assim. Isto porque as vacas em uma dieta de cânhamo, que é uma planta de maconha cultivada por suas sementes, fibras e talo, tornam-se instáveis, com suas línguas penduradas e suas membranas oculares vermelhas. Ao fazer isso, eles produzem um tipo especial de leite, o leite alucinógeno.

Este produto derivado da cannabis não causou a famosa “carambola” nas vacas. Na verdade, eles diminuíram seu consumo geral de alimentos. Por causa disso, produziram menos leite, porém, este leite tinha níveis detectáveis de delta-9-tetrahidrocanabinol (THC), o principal composto indutor de maconha, e canabidiol (CBD), que tem alguns efeitos sobre o corpo, mas não é psicoativo.

Nos Estados Unidos e na Europa, o cânhamo ainda não é um aditivo alimentar aceitável. Isto se deve em parte à preocupação de que estes compostos ativos na planta passem para o leite. “Mas à medida que as indústrias de cânhamo e CBD cresceram, as partes interessadas e os reguladores consideraram teoricamente o uso de cânhamo como ração animal, citando seu baixo custo e valor nutricional”, disse Robert Pieper, co-diretor temporário do departamento de Segurança da Cadeia Alimentar do Instituto Federal Alemão de Avaliação de Riscos.

 

 

Vacas

Entretanto, ainda não há pesquisa suficiente para aprovar o uso da planta desta forma. Mas em um novo estudo publicado esta semana, Pipper e colegas descobriram que os canabinóides podem entrar no leite das vacas alimentadas com cânhamo. No entanto, eles não têm certeza do risco que isso pode ter para os consumidores desse leite.

Assim, para testar o efeito do cânhamo sobre as vacas leiteiras e seu leite, os pesquisadores deram cânhamo a 10 vacas leiteiras alimentadas com cânhamo em diferentes concentrações de canabinóides, compostos derivados da cannabis com efeitos semelhantes a drogas.

O cânhamo e a maconha provêm da mesma espécie de planta, neste caso a maconha. Entretanto, por definição, o cânhamo não contém mais de 0,3% de THC, enquanto a maconha tem altas concentrações.

Na primeira semana do experimento, os pesquisadores trocaram parte da ração à base de milho das vacas por cânhamo com doses baixas de canabinóides. E, nos outros seis dias, eles deram às vacas ração de alta canabinóide feita de flores, folhas e sementes das plantas.

Estudo

Esta alimentação das plantas inteiras não teve nenhum efeito sobre a saúde ou o comportamento das vacas. Entretanto, após algumas horas de mudança para uma dieta floral, a respiração e o ritmo cardíaco das vacas caíram para níveis muito baixos.

“Estes são sintomas raros em vacas que só ocorrem no curso de doenças graves ou podem ser induzidos farmacologicamente”, disseram os pesquisadores.

Entre os sinais, as vacas babavam, bocejavam e produziam mais secreções nasais do que o normal. Além disso, seus olhos ficaram vermelhos e suas línguas ficaram com a língua em franja. E aqueles que comeram grandes quantidades de flores tiveram uma marcha instável e adotaram posturas anormais quando parados.

Após dois dias desta mudança, as vacas deixaram de comer tanto e produziram menos leite. “Atualmente não temos nenhuma explicação mecanicista sobre o porquê disto ter acontecido”, disse Pieper.

“A ração floral continha mais gordura do que a ração vegetal inteira, portanto poderia ter afetado o apetite das vacas, mas os próprios canabinóides também poderiam ter desempenhado um papel”, escreveram os pesquisadores.

Leite

Dois dias depois, quando as vacas voltaram à sua dieta normal, as mudanças observadas foram resolvidas. O mais provável culpado é o THC, entretanto, os outros canabinóides e produtos químicos do cânhamo também podem ter contribuído para os sintomas observados.

No final do teste da planta inteira e durante o teste de alimentação das flores, o THC, CBD e outros canabinóides puderam ser detectados no leite das vacas. Oito dias após o final do teste, tanto o THC quanto o CBD eram detectáveis em seu leite.

Segundo os pesquisadores, esta quantidade de THC detectada durante o teste de alimentação de flores pode ter algum efeito sobre a saúde humana. No entanto, ainda não está claro como tal leite contaminado poderia fazer com que uma pessoa ficasse mais pedrada. Para isso, é necessária mais pesquisa.

Você conhecia estes fatos interessantes?

 

—————————————————————————————————————————————————————————————————————————–

✅ No eDairy Market temos todas as categorias de laticínios, todos os produtos e todas as empresas. Nós o representamos.

✅ Potencialize seus negócios através do eDairy Market:

  • Seu microsite com produtos, marca e domínio de sua empresa a um custo mínimo.
  • Você poderá vender seus produtos e nós não cobramos comissão por venda.
  • Agora você pode vender seus Produtos, Ingredientes e Máquinas Lácteas em Inglês, Espanhol, Português e Chinês Mandarim.

✅ Crie sua própria loja on-line de uma maneira super fácil:

É praticamente impossível tirar certos aperitivos do gosto do brasileiro. Sabendo disso, uma pesquisa decidiu apurar um dos nossos xodós do cardápio nacional e elegeu o melhor requeijão que hoje é vendido no Brasil.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER