A mesma pergunta veio de dois produtores diferentes: Wallysson, de Uberlândia, no Pontal do Triângulo Mineiro, e José Ricardo da Rrosa, de Monteiro Lobato, interior de SP, querem saber se podem cruzar touros Braford com suas vacas Girolando.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A mesma pergunta veio de dois produtores diferentes: Wallysson, de Uberlândia, no Pontal do Triângulo Mineiro, e José Ricardo da Rrosa, de Monteiro Lobato, interior de SP, querem saber se podem cruzar touros Braford com suas vacas Girolando.

No quadro Giro do Boi Responde desta segunda, 02, que atendeu os criadores foi o zootecnista Guilherme Marquez, gerente nacional de produto leite da central Alta Genetics.

“Primeiro a gente tem que entender de onde vem a raça Braford. O Braford é uma fusão entre o Hereford e raças zebuínas. O Hereford é uma das raças mais antigas do mundo. É uma raça britânica e ela foi feita com muita consanguinidade para que você tivesse um animal precocefértil e de acabamento muito rápido. É um animal típico para corte, para altos resultados. No Brasil, essa raça Hereford foi cruzada com as raças zebuínas, inicialmente com Tabapuã e depois com o Nelore. Qual era o intuito? Fazer a raça precoce, mas também resistente aos ecto e endoparasitas brasileiros e a sua rusticidade. Então a gente teria uma raça que acabaria muito rápido no corte e ainda adaptaria muito bem no nosso país”, contextualizou Marquez.

“É uma raça hoje focada para corte. Ela é uma raça que a gente chama de sintética. Ela tem ⅜ de raças zebuínas e ⅝ de raça taurina, que é o Hereford”, acrescentou.

Apesar de reconhecer as qualidades da raça, o zootecnista ponderou que não é aconselhável utilizá-la para manter a produção de leite do rebanho. “Quando a gente vai fazer heterose ou vai procurar um cruzamento para a gente obter leite, nós precisamos utilizar raças de leite. Nesse caso, o Braford é uma raça de corte. Os bezerros terão a média do gameta do pai e da mãe, ou seja, a média de produção dos pais, (portanto a produção de leite) não será igual à da mãe, será inferior. Os animais não terão a produção de leite que você deseja”, apontou.

“Minha indicação é que você crie Braford separado. Como se fosse um núcleo da fazenda para você fazer animais de corte. Para a finalidade de abate e produção de carne. E separe o núcleo de leite, para que você possa trabalhar com vacas leiteiras e assim produzir o leite pagando as contas do dia a dia”, aconselhou.

Qual é a sua dúvida sobre cruzamento industrial? Envie para o programa no link do Whatsapp do Giro do Boi, pelo número (11) 9 5637 6922 ou ainda pelo e-mail girodoboi@canalrural.com.br.

Veja a resposta completa no vídeo a seguir:

Foto: divulgação / ABHB

Campanha consumo de leite – A Campanha da 1ª Semana do Leite, prevista para ocorrer na primeira quinzena de novembro, foi o tema central da 18ª Reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta sexta-feira (17).

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER