A produção leiteira reúne o que há de mais belo na agricultura e na pecuária, e quando a conheci, soube que era o meu lugar. Também porque acredito profundamente, como consumidor e como mãe, no fruto da sua produção.
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
A produção de lacticínios reúne os aspectos mais belos da agricultura e da pecuária.
A produção de lacticínios reúne os aspectos mais belos da agricultura e da pecuária.

Aproxima-se o dia do jornalista agrícola na Argentina, e com a aproximação dos aniversários, entro num modo de reflexão e gratidão pelas pessoas e oportunidades que a vida me pôs no caminho e como moldaram o meu presente.

Há já algumas semanas que tudo me leva a analisar por que razão escolhi fazê-lo, e como, de entre tudo o que há para escolher no grande campo argentino, fiquei na produção de lacticínios.

Para mim, ser um jornalista agrícola significa poder contribuir para a grandeza do meu país,
empurrando para o mesmo lado que o seu sector mais produtivo, trabalhando para sensibilizar a sociedade para o que a agricultura faz e como, porque como ouvi há alguns dias atrás: “não há país sem o campo, quanto mais um país contra o campo”.

Significa trabalhar para reparar a ligação entre o urbano e o rural, sair para combater a pós-verdade, reavaliar a figura do produtor, tranquilizar aqueles que pensam que as coisas são mal feitas no campo, que estão a trabalhar de forma responsável, produzir alimentos seguros, cuidar do ambiente e cuidar do bem-estar animal.

Acontece que a produção leiteira reúne o que há de mais belo na agricultura e pecuária, e quando a conheci, soube que era onde eu pertencia. Também porque acredito profundamente, como consumidor e como mãe, no fruto da sua produção.

O leite, o alimento mais perfeito, mais completo e mais versátil alguma vez concebido, foi criado pela natureza no ventre da mãe, leite ao qual nos pudemos adaptar no nosso caminho para a idade adulta, para dele retirar o germe da nossa evolução.

Todas as semanas falo-vos dos benefícios para a saúde do consumo de leite e lacticínios, mas desta vez é difícil abstrair dos números que os lacticínios significam para a economia do país.

O complexo leiteiro argentino cresceu 22,5% no primeiro semestre do ano devido às exportações leiteiras, o que significa um aumento das receitas em divisas para o país. Um aumento de U$S 349 milhões em comparação com a primeira metade de 2019. O crescimento é também enorme em relação aos outros sectores que compõem a produção agrícola, e espera-se que o sector leiteiro seja o que terá a maior expansão até 2031.

No entanto, em Julho, as centrais leiteiras ordenharam 1% menos litros de leite do que no mesmo mês do ano passado, a segunda queda consecutiva. A seca e os custos elevados estão a ter impacto no sector.

Desde Maio tem havido um abrandamento no crescimento anual da produção e dos aspectos meteorológicos, os custos de produção e os preços tanto no mercado interno como externo (preços baixos, consumo mais baixo, queda dos preços internacionais, atrasos nas taxas de câmbio e retenções na fonte) tornam difícil prever o comportamento da produção até ao final do ano.

Por outro lado, aproximam-se algumas reuniões há muito esperadas. Esta quinta-feira, 1 de Setembro no Centro Metropolitano de Rosário, no Observatório da Cadeia Láctea Argentina (OCLA) e na Fundação para a Promoção e Desenvolvimento da Cadeia Láctea Argentina (FunPEL), reunirá todo o arco lácteo na 5ª Perspectiva da Cadeia Láctea Argentina.

Partilharemos experiências e conhecimentos produtivos, tendências no Mercado Internacional de Lacticínios, falaremos sobre o Lacticínio Argentino em números, a Cadeia Láctea por volta de 2030, o Factor Humano, o Bem-Estar Animal e o Ambiente, e as novas formas de relação entre a Produção e a Indústria.

A Dairy é uma grande família na Argentina. A produção de leite é complexa e bela. Vamos celebrá-lo e apoiá-lo. É assim que se faz.

Já estou na estrada, garrafa de leite na mão, a viajar para Santa Fé, uma província produtora por excelência, para reforçar a minha vocação e para conhecer e aprender muito mais sobre o maravilhoso mundo da produção leiteira. Entretanto, já bebeu o seu copo de leite hoje? Não se esqueça: O leite é bom para si!

 

Valeria Guzmán Hamann
EDAIRYNEWS

 

 

É praticamente impossível tirar certos aperitivos do gosto do brasileiro. Sabendo disso, uma pesquisa decidiu apurar um dos nossos xodós do cardápio nacional e elegeu o melhor requeijão que hoje é vendido no Brasil.

Você pode estar interessado em

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Para comentar ou responder, você deve 

ou

Notas
Relacionadas

ASSINE NOSSO NEWSLETTER